Prefeitura não vai propor reajuste do IPTU para 2016

Comissão da Planta de Valores definiu, durante reunião nesta segunda-feira, que aumento do imposto ficará unicamente a cargo dos vereadores

A Prefeitura de Goiânia não deve participar, ao menos não de forma direta, das discussões envolvendo o reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU/ITU) na capital para 2016. Em reunião na tarde desta segunda-feira (13/7), a Comissão da Planta de Valores Imobiliários definiu que a proposta para o acréscimo tributário ficará a cargo unicamente dos vereadores goianienses.

Conforme a assessoria da Secretaria Municipal de Finanças, a preocupação imediata do Paço não é por uma maior arredacação, mas sim pela atualização da Planta de Valores da capital, defasada há mais de 10 anos.

A Prefeitura avalia como prioridade uma atualização real dos preços do valor venal das casas em relação ao mercado imobiliário. A preocupação do Paço muito tem a ver com o andamento das obras do Macambira-Anicuns e do BRT Norte-Sul, consideradas prioridades pela administração do prefeito Paulo Garcia (PT).

Com a atualização da Planta, a Prefeitura espera amenizar os problemas causados pela desapropriação dos imóveis vizinhos aos projetos. Segundo estimativa do Paço, há discrepâncias enormes entre o valor venal e o valor real dos imóveis.

A Comissão da Planta de Valores se reuniu pela segunda vez nesta segunda-feira para iniciar as tratativas em torno da atualização da Planta. Na ocasião, técnicos da Prefeitura apresentaram o resultado de estudos preliminares, em que foram demontrados a defasagem dos valores em relação aos setores central, Aeroporto, Oeste e Norte-ferroviário.

Os trabalhos da comissão devem durar até meados de agosto, quando a nova proposta deve ser enviada à Câmara para apreciação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.