Prefeito Rogério Cruz sancionou projeto de Lucas Kitão, aprovado com apenas um voto contrário

A partir desta semana, o Calendário de Eventos de Goiânia passa a contar com o Dia Municipal da Cannabis Terapêutica. Na última terça-feira, 8, o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) sancionou projeto que inclui o dia 27 de novembro no calendário oficial, com o objetivo de ampliar a discussão sobre regulamentação, distribuição, pesquisa e uso de cannabis medicinal na cidade.

O projeto foi aprovado no Plenário da Câmara Municipal com apenas um voto contrário. Segundo o autor, vereador Lucas Kitão (União Brasil), a ideia de incluir a data no calendário oficial visa a geração de uma série de trabalhos de incentivo à pesquisa e à discussão do uso terapêutico da cannabis. Dessa maneira, a população pode ter acesso a informações essenciais de regulamentação e distribuição dos medicamentos, que ainda encontram barreiras em dificuldades técnicas ou mesmo sociais, como o preconceito.

Por meio da oficialização de uma data para toda Goiânia, o Lucas Kitão acredita que será serão fortalecidos os espaços de debate e conscientização. “A inclusão no Calendário Oficial do Município vai permitir que ações sejam realizadas por instituições públicas ou privadas, a fim de promover atividades de caráter educacional na cidade que é referência em todo o Brasil, desde a aprovação da regulamentação desses medicamentos na capital”, destaca.

O vereador faz menção a uma medida já aprovada. Anteriormente, a Câmara de Goiânia havia promulgado uma outra lei que autoriza a regulamentação e distribuição gratuita de uma série de medicamentos produzidos à base de cannabis. A legislação, no entanto, ainda precisa ser regulamentada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

27 de novembro

Além do novo Dia Municipal da Cannabis Terapêutica, o dia 27 de novembro já inclui o Dia Nacional do Combate ao Câncer. A escolha da mesma data, inclusive, tem relação com a conscientização proposta ao redor de debates ligados ao tratamento de câncer. De acordo com Kitão, desde 2013 a data já é celebrada não oficialmente por ativistas defensores do uso de derivados da cannabis no alívio de sintomas provocados pela quimioterapia.

“Agora poderemos incluir no Calendário Municipal a realização de debates, palestras e atos públicos, além da distribuição de material informativo”, concluiu o parlamentar.