Para Delegado Eduardo Prado, o cancelamento de pagamento das dívidas é absurdo, uma vez que as entidades prestaram os serviços para a prefeitura

Nesta terça-feira (4/4), o vereador Delegado Eduardo Prado (PV) classificou como “absurda” a decisão do prefeito Iris Rezende (PMDB) de cancelar o pagamento de dívidas a entidades filantrópicas. O decreto foi publicado na edição da segunda-feira (3) no Diário Oficial do Município e, através dele, a prefeitura suspendeu o pagamento de R$ 1.370.000 a onze instituições conveniadas do município.

[relacionadas artigos=” 90587 “]

“Para mim chega a ser absurdo, porque os convênios foram realizados, as entidades trabalharam, atenderam as crianças e vem uma situação dessas. Elas estão necessitando e podem até fechar as portas. No momento em que um prefeito assume o mandato, ele tem que pagar as dívidas”, defendeu o parlamentar. Ele ressaltou, ainda, que diariamente recebe pessoas em seu gabinete que reclamam de problemas causados pela ingerência do prefeito.

Eduardo Prado lembrou, ainda, que no início do ano, com a arrecadação de tributos, a Prefeitura de Goiânia deveria ter resolvido ao menos as questões emergenciais na área da saúde e educação. “Questão de saúde e educação não tem como deixar para depois”, ressaltou.

O vereador afirmou que Iris deve criar um cronograma de pagamentos e “escancarar” a situação financeira da prefeitura. Assim, explicou, a população pode saber se há dívida e como a gestão municipal pretende sair da situação.

“Se há dívida, tem que escancarar porque senão a pressão será constante. Eu não sei se o prefeito Iris tá com a saúde mental 100% pra administrar Goiânia, porque pelo que eu estou vendo aí, não está. O que nós vemos é que todos: vereadores da base, os da oposição, e até secretários indiretamente reclamam. Ele [Iris] tem que ver e se não tiver condições, pede pra sair e nós fazemos uma nova eleição, precisamos colocar a capital para funcionar”, afirmou.

Em nota resposta, a prefeitura afirmou que o que foi cancelado não foi o pagamento para as instituições filantrópicas, mas os empenhos do orçamento de 2016 para abrir novo empenho neste ano. A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) afirmou que os débitos serão quitados e que o órgão está realizando todos os esforços para pagar as instituições.

Confira a nota na íntegra:

A Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) informa que não foi cancelado o pagamento para as instituições filantrópicas, mas sim o cancelado de empenhos do orçamento de 2016 para abrir novo empenho deste ano. Pois como se trata de subvenção social não pode ficar no orçamento do ano anterior. Vale salientar que novos empenhos serão abertos para quitar os débitos das instituições filantrópicas conveniadas à Semas, que ressalta ainda, que o órgão está realizando todos os esforços para pagar em dias todas as instituições conveniadas.

*A matéria foi atualizada às 18 horas do dia 5 de abril para acrescentar a resposta da prefeitura