Prefeitura de Goiânia nomeia 1ª pessoa trans para cargo de chefia no Brasil

Novo superintendente de LGBTQIA+ concedeu entrevista ao Jornal Opção e revelou como ocorreu o convite do prefeito Rogério Cruz (Republicano) para ele assumir o posto

Por PH Mota
Nielton Soares


A Prefeitura de Goiânia nomeou na última quarta-feira, 4, a primeira pessoa trans para um cargo de chefia no País. O paulista John Maia Gomes assumiu como superintendente de LGBTQIA+, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (SMDHPA), onde já atuava por 1 ano e 3 meses como gerente.

A ascensão de cargo de Gomes na pasta foi comemorado pela secretária municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, Cida Garcez. “A nomeação do John foi recebida com muita alegria e satisfação, mas sem nenhuma surpresa. Seu trabalho anterior como gerente na pasta já demonstrava toda sua competência e dedicação com as demandas da população LGBTQIA+, em Goiânia”, pontou.

Jornal OpçãoFoi divulgado que esse é o primeiro cargo público assumido por uma pessoa trans no país, consegue confirmar essa informação?

John Maia Gomes – Esta sendo tudo muito novo para mim e realmente sou o primeiro homem trans a ocupar um cargo de chefia nacionalmente. É algo que não é só um marco histórico, falo que foi um privilégio e uma honra ocupar uma cadeira do qual veio duas pessoas sensacionais que foi o Victor Hipólito e Vitor Cadillac.

Jornal Opção – Como foi esse convite e a aproximação com o prefeito Rogério Cruz para assumir a superintendência?

John Maia Gomes – Na verdade, eu era gerente da pasta, juntamente com o Vitor Cadillac, onde eu já estava a 1 ano e 3 meses, e esse convite veio do próprio prefeito (Rogério Cruz) e dona Thelma Cruz, a primeira-dama.

Jornal Opção – Como é essa relação para você ter assumido essa pasta com uma pauta tão progressista no governo do Rogério Cruz, que pessoalmente tem uma pauta conservadora, uma pauta da igreja evangélica?

John Maia Gomes – A gestão dele diariamente tem mostrado, independente de vir de uma casa evangélica, é uma gestão que cuida de todos. Eu sou uma quebra de tabu e aí a permanência na gerência foi do Rogério Cruz e da dona Thelma, a minha permanência na superintendência foi graças a eles. Então eu falo que é o olhar dessas pessoas e que não fazem distinção de pessoas de maneira nenhuma e eu sou prova viva disso.

Jornal Opção – Como tem sido a sua atenção, uma vez que você já era gerente da pasta?

John Maia Gomes – É uma trabalho árduo, é um trabalho diário, pois nosso foco foi olhar para as pessoas da ponta, eu falo que o foco é na empregabilidade, inserir as pessoas no mercado de trabalho, não só a população trans, mas sim a população LGBTQIA+ da ponta, inseri-los em projetos sociais no município e do estado, ter esse olhar. Conseguir a tão sonhada Casa de Acolhida aqui para Goiânia.

Jornal Opção – E como estão os projetos da Casa de Acolhida para pessoas trans e a superintendência é exclusiva para o suporte de pessoas LGBTQIA+?

John Maia Gomes – A Casa de Acolhida não é só para pessoas trans é uma casa de acolhida para LGBTQIA+, para a população LGBTQIA+ e a superintendência LGBTQIA+, no qual tem o cargo de superintendente e de gerente LGBTQIA+, é uma pasta exclusiva para a população LGBTQIA+ e é onde damos seguimento, desde documentação, empregabilidade, busca de parceria para inserir no mercado de trabalho, terminar os estudos dessa população, ter capacitação para também entrar no mercado de trabalho.

Jornal OpçãoQual é a principal força que a pasta tem hoje para essas possibilidades de atuação citadas?

John Maia Gomes – Nós estamos atuando mais no momento é na retificação de gênero trans e a empregabilidade em parceria com empresas para inserem essas pessoas LGBTQIA+ no mercado de trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.