Prefeitura de Goiânia estuda parcelar dívidas com fornecedores em até 24 vezes

Expectativa é de que projeto de lei do Executivo chegue á Câmara Municipal na próxima semana 

Foto: Mayara Carvalho / Jornal Opção

O prefeito Iris Rezende (MDB) estaria prestes a mandar para a Câmara Municipal de Goiânia um projeto de lei que prevê parcelamento em até 24 meses da dívida do executivo com fornecedores. Nos bastidores, a expectativa é de que a matéria chegue na Casa de Leis na próxima semana.

Durante a prestação de contas referente ao segundo quadrimestre de 2018, o prefeito afirmou que não há dívidas adquiridas pela atual gestão e que pretende iniciar no próximo ano o pagamento dos fornecedores em atraso desde a gestão passada.

“O meu trabalho tem sido, desde o primeiro minuto, controlar as finanças. Tudo que adquirimos foi pago no ato. Só autorizamos a compra quando podemos pagar á vista. Mas, suspendemos o pagamento das dívidas que eram prorrogáveis. E esperamos, no próximo ano, começar o pagamento dessas dívidas dos exercícios de 2014, 2015 e 2016”, afirmou na época.

A quitação das dívidas com fornecedores foi uma das promessas de campanha de Iris. Em entrevista ao Jornal Opção o líder do prefeito, vereador Tiãozinho Porto (Pros) disse que não tem conhecimento sobre a possível apresentação do projeto mas garantiu que não há dívidas atuais e que se houver parcelamento será relativo á falta de pagamentos da gestão Paulo Garcia.

“Eu não estou sabendo. Eu vejo que o caixa da prefeitura está sendo aquecido, já está sendo positivo. A partir do ano que vem várias obras serão feitas em Goiânia, os servidores serão contemplados naquilo que são os direitos deles. Essa questão dos fornecedores eu desconheço”, declarou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ziro

A obra em execução do POSTO DE SAÚDE do Jardim América que deveria ter sido entregue em abril/2018, antes mesmo de sua inauguração, já está causando constrangimento e indignações por parte da população goianiense, pelo fato de que é de péssima qualidade, uma obra simples longe da modernidade, o investimento não corresponde a uma das maiores cargas tributárias pagas na Galáxia, é frustante… como podem!!! É minha opinião.