Prefeitura de Goiânia divulga canais para tirar dúvidas sobre coronavírus

Site reúne notícias, informações sobre formas de prevenção, contágio, medidas que estão sendo tomadas, rede de assistência e acesso ao aplicativo do SUS

Foto: Fernando Frazão/Agencia Brasil

A Prefeitura de Goiânia prepara desde fevereiro um plano de contingenciamento para lidar com o surgimento do Covid-19 (Coronavírus) na cidade. Desde que foi decretada a situação de pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a Secretaria Municipal de Saúde toma uma série de medidas para enfrentar o surto e orientar as pessoas que apresentem sintomas de possível contágio.

A orientação neste momento é que os pacientes com sintomas graves, como falta de ar, procurem as unidades básicas de saúde para que possam ser acompanhadas pelos profissionais da SMS. “São 81 unidades com um espaço reservado e servidores qualificados para atendimento de possíveis casos da Covid-19”, pontuou Fátima Mrué.

O paciente que apresentar sintomas leves deve se isolar em casa, sob recomendação médica; usar máscara para proteção das vias aéreas e não ter contato com os demais moradores da residência em até 14 dias.  A população que tiver acesso à rede de saúde suplementar (planos de saúde) pode recorrer à clínica particular e consultório. O médico notificará o município, que deverá fazer a coleta do caso suspeito.

Os possíveis pacientes que apresentarem sintomas mais graves da doença serão internados nas unidades de referência. Em caso de suspeita, a orientação é de que os pacientes sejam isolados em seus domicílios e monitorados por médicos duas vezes ao dia por meio de um sistema digital de telemedicina.

“O médico irá avaliar a situação do paciente e chamará o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância e Saúde (CIEVS) para realizar a coleta para o exame. Caso o paciente esteja em situação grave, será encaminhado para o Hospital de Doenças Tropicais (HDT)”, explica a secretária.

Os testes só serão feitos quando tiverem a necessidade de realização reconhecida por médicos. A partir desta quinta-feira, 19, os exames que identificam a presença do novo coronavírus na capital serão realizados em mais 10 unidades de urgência de Goiânia (Cais e Ciams) e nas sete unidades de distritos sanitários, com duas sentinelas em cada, ou seja, serão 24 pontos na rede. “Essas unidades contam com equipes volantes para colher materiais em outras unidades de saúde para que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível”, afirma Mrué.

Central Humanizada de Orientações Sobre o COVID-19

A partir desta quinta-feira, 18, a Prefeitura de Goiânia disponibiliza mais um serviço no combate ao novo coronavírus.  A Central de Atendimento ao Cidadão – Teleconsulta atende a população de Goiânia e profissionais da saúde, em tempo real, por meio do telefone 3267-6123. Além disso, a Prefeitura lançou um site que reúne as informações do município sobre a doença.
Nesta página estão reunidas notícias, informações sobre as formas de prevenção, contágio, as medidas que estão sendo tomadas, a rede de assistência, além de acesso ao aplicativo do SUS sobre o Cornoavírus, que divulga informações sobre o COVID-19 e ainda realiza uma triagem virtual, indicando se é necessário ou não a ida a hospitais.

Confira o fluxo de atendimento para casos suspeitos de pacientes com Covid-19 em diferentes situações:

Viajante: pessoa que apresente febre, pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, cor azulada ou acinzentada da pele, batimento de asa de nariz e retração da musculatura das costelas durante a respiração) e com histórico de viagem para país com transmissão sustentada ou área com transmissão local nos últimos 14 dias.

Contato Próximo: pessoa que apresente febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, cor da pele azulada ou acinzentada, batimento de asa de nariz e retração da musculatura das costelas durante a respiração) e histórico de contato com caso suspeito ou confirmado para Covid-19, nos últimos 14 dias.

Contato Domiciliar: pessoa que manteve contato domiciliar com caso confirmado por Covid-19 nos últimos 14 dias e que apresente febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta e coriza).

Ministério da Saúde

De acordo com o Ministério da Saúde o contato próximo é definido como estar a aproximadamente dois metros de um paciente com suspeita de caso por novo coronavírus, dentro da mesma sala ou área de atendimento, por um período prolongado, sem uso de equipamento de proteção individual (EPI).

O contato próximo pode incluir cuidar, morar, visitar ou compartilhar uma área ou sala de espera de assistência médica ou, ainda, nos casos de contato direto com fluidos corporais, enquanto não estiver usando o EPI recomendado.

Já a definição de caso suspeito, considera além do quadro clínico, a identificação da procedência e do roteiro de viagem nos últimos 14 dias deve ser realizada de forma mais detalhada possível em todas as portas de entrada da rede assistencial, seja ela pública ou privada (país e cidade, número de voos, datas, etc).

Os pacientes com histórico de contato com casos suspeitos, confirmados, ou com histórico de viagem para as regiões com transmissão comunitária da doença e que apresentem sintomas de febre e pelo menos mais um sintoma de gripe (coriza, dor de garganta, tosse, espirro) devem procurar a rede de atenção básica para notificação e realização do exame.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.