Prefeitura de Aparecida gasta cerca de R$850 mil por ano em reparação de vandalismos em praças públicas

De acordo com secretário de Desenvolvimento Urbano, recursos poderiam construir cinco praças de porte médio a cada ano na cidade

Banco depredado em praça do Setor Jardim da Luz | Foto: Claudivino Antunes

De acordo com Max Menezes, secretário de Desenvolvimento Urbano de Aparecida de Goiânia, na última gestão, a prefeitura entregou à população cerca de 80 novas praças públicas. Entretanto, os espaços vem sendo depredados por algumas pessoas, gerando prejuízos aos cofres públicos e impedindo novas melhorias.

“A prefeitura tem investido muito em espaços públicos e a reforma de alguns espaços e outros novos. O paisagismo da cidade está sendo bem cuidado”, observou o titular da pasta. “Gostaríamos muito de poder contar com a colaboração das pessoas. É um espaço de convivência, em que as pessoas podem usufruir em comunidade. Não é da prefeitura, não é meu e nem do prefeito. É da comunidade”, afirmou.

Em um dos últimos vandalismos na cidade, a estátia do diplomata brasileiro Oswaldo Aranha, na Praça Isral, foi pichada. O monumento ainda teve o chapéu roubado. A praça se localiza no Parque Trindade, que teve a beleza de seu espaço coletivo comprometido pelo ato.

“Temos uma quantidade de pessoas, que é uma quantidade pequena, mas que vem prejudicando muito esses locais. Vem depredando, estragando, quebrando. A gente sabe que aquele local que tem um playground estragado, são nossos filhos ou filhos de moradores que vão deixar de utilizar esses espaços. Temos também as academias. As pessoas de terceira idade, jovens, adolescente e aqueles que utilizam os espaços para sua saúde e vão deixar de utilizar porque alguém quebrou esse equipamento”, disse.

De acordo com ele, mensalmente a prefeitura gasta cerca de R$70 mil no reparo dos estragos produzidos por essas pessoas. “Nossa despesa é muito alta”, contou. “Ao longo do ano, vamos somar R$840 mil de prejuízo. Com isso faríamos cerca de quatro a cinco praças de porte médio com esse recurso investido na correção dos estragos feitos por meliantes.”

A Guarda Civil Metropolitana realiza um trabalho nas ruas para coibir depredações, monitoramento o patrimônio da cidade por meio de câmeras de alta resolução, do projeto Cidade Inteligente, opeardas no Centro de Inteligência Tecnológica (CIT). A GCM, além de monitorar atitudes suspeitas, pode surpreendendo os indivíduos e encaminhando à polícia para que sejam tomadas as providências cabíveis.

A população também pode fazer sua parte denunciando por meio dos telefones 153 e 3545-5901.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.