Prefeitura abre processo para investigar detenção de paciente em UPA de Goiânia

Ana Paula Mendes dos Santos foi encaminhada à Central de Flagrantes após tumulto causado por demora no atendimento médico

 Ana Paula Mendes foi detida em UPA de Goiânia| Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A Prefeitura de Goiânia anunciou nesta quinta-feira (29/3) que abriu um processo para investigar a detenção de uma paciente por guardas civis metropolitanos (GCM) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Itaipu, em Goiânia.

O ato aconteceu na tarde da última quarta-feira (28) quando Ana Paula Mendes dos Santos, de 25 anos, questionou a demora no atendimento. Ela foi encaminhada à Central de Flagrantes e autuada pelo crime de desobediência.

Em nota, a prefeitura afirmou que repudia todo tipo de violência utilizada contra o cidadão. “Sobre o caso específico ocorrido na UPA Itaipu, informa que um processo foi aberto para que as devidas providências e punições cabíveis sejam tomadas”. diz o comunicado.

Sem atendimento

Na unidade, pacientes e acompanhantes indignados contaram que aguardavam desde cedo por um médico. Logo após a detenção, Maria Lúcia Fidelis de Souza, de 55 anos, que acompanhava a mãe, Aldizina Souza, de 83 anos, decidiu procurar outra unidade. “Esperamos muito e nada. Minha mãe está passando mal há três dias. Não sabemos o que fazer”, revelou Maria.

A idosa chegou à unidade às 10 horas da manhã, conforme verificou a reportagem na ficha da paciente. Sem atendimento, Aldizina saiu da unidade às 16h45. A direção da UPA Itaipu informou que contava com três médicos: um cirurgião, clínico geral e um pediatra. Sem saber explicar o motivo de a idosa ter ido embora, a diretora concluiu: “Ela foi porque quis”.

Veja o vídeo da detenção:

 

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
ziro

A prefeitura de Goiânia não admite reclamação dos problemas de vícios e defeitos dos péssimos serviços públicos como da saúde. O problema, a causa principal é a impunidade garantida pelo poder judiciário omisso que está alinhadinha com os políticos em prol de mordomias, feriadões e super salários, que se dane a população que só tem obrigação de pagar uma das maiores cargas tributárias do planeta que beira 50% do PIB em troca de brutalidades dos brucutus do prefeito. A solução é simples privatização de varas, escrivanias e câmaras do judiciário, como já ocorreu com os cartórios extrajudiciais, será uma grande… Leia mais