Prefeitos do PMDB goiano querem tomar as rédeas do processo pré-eleitoral

Principal partido de oposição em Goiás, com o maior número de prefeitos eleitos no Estado, se reúnem nesta tarde para reiniciar discussões quanto à chapa majoritária

prefeitodivinoPANAMA foto destaque

Divino Alexandre, prefeito de Panamá: “Não estamos defendendo nome A ou B, apesar de ser clara a preferência de alguns prefeitos por determinados nomes, não vamos debater isso nesse primeiro momento”

Prefeitos do PMDB de Goiás se reúnem na tarde desta quinta-feira (29/5) com vistas a buscar uma saída para o partido, envolto em crise interna desde meados de maio de 2013 e que, mesmo após disputa entre duas pré-candidaturas, encontra-se há exatos sete dias sem um nome para a cabeça de chapa. O tempo, que já era curto, tem corrido cada vez mais nos últimos dias para peemedebistas, já que o prazo final para definição se extingue em 30 de junho. Organizador da reunião, restrita somente a prefeitos, o prefeito de Panamá, Divino Alexandre da Silva, conversou nesta manhã com o Jornal Opção Online sobre a perspectiva para as conversas.

“Foi um pedido dos próprios prefeitos, que entendem que o PMDB precisa de um nome. É preciso entender que nós prefeitos somos peças fundamentais neste processo, e nós vamos buscar uma saída”, sintetiza o peemedebista, emendando que o foco será a chapa majoritária como um todo. De acordo com Divino, trata-se justamente de um “reinício” do processo de escolha do nome após os recuos de Iris Rezende e Júnior Friboi. “Tem partidos nos aguardando para aprofundar nas conversas sobre aliança”, frisa.

Perguntado quanto à falta de abertura às bases nas escolhas e colocações dos dois nomes retirados recentemente, o prefeito ponderou que realmente “precisava” de mais conversa não só com os prefeitos, mas também com os vereadores. “O sistema político brasileiro ainda tem essa deficiência. As tomadas de decisão não deveriam ser de cima para baixo, mas de baixo para cima”, opina.

O clima entre os prefeitos, conforme Divino Alexandre, é de discussão. “Não estamos defendendo nome A ou B, apesar de ser clara a preferência de alguns prefeitos por determinados nomes, não vamos debater isso nesse primeiro momento”. Para o peemedebista, a divisão entre as chamadas alas irista e friboizista só tem prejudicado o PMDB e evidenciado a cisão interna da sigla.

Todos os 55 prefeitos do PMDB goiano foram convidados, mas Divino reconhece que nem todos poderão comparecer, seja por agenda administrativa ou por falta de vontade mesmo.

Uma resposta para “Prefeitos do PMDB goiano querem tomar as rédeas do processo pré-eleitoral”

  1. Avatar Mario Borges disse:

    A verdade é uma só , o PMDB agora não tem um norte , vai pedir “boquinhas” ao PT , uma vergonha para o maior partido do est. de Goiás , porque não chamar o prefeito Maguito ??? ele tem condições de disputar com Marconi, ganhar é outra coisa, pelo menos o partido terá um lider.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.