Prefeitos pedem apoio de José Vitti contra PEC apresentada por Bruno Peixoto

Em documento entregue ao presidente da Alego, representantes municipais repudiam a iniciativa do parlamentar 

Foto: Divulgação

O presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti (PSDB), se reuniu com um grupo de prefeitos que pediu seu apoio contra a PEC de autoria do deputado Bruno Peixoto (MDB). A medida prorroga o início de vigência do Orçamento Impositivo em dois anos, de 2019 para 2021.

Os presidentes da Associação Goiana dos Municípios (AGM) e da Federação Goiana dos Municípios (FGM) entregaram um documento ao chefe do Poder Legislativo firmando a posição dos prefeitos goianos.

Vitti defendeu um entendimento com o governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) para que as emendas parlamentares impeditivas  sejam ou não cumpridas já a partir do ano que vem. “Acho que o bom senso deve prevalecer nesse momento. Vou trabalhar para que isso aconteça. Deve haver um denominador comum e o governador eleito tomará a melhor decisão”, assinalou.

O presidente da AGM, Kelson Vilarinho, prefeito de Cachoeira Alta, disse que o adiamento do Orçamento Impositivo é um desastre para os municípios goianos que, segundo ele, estão sem condições de sobrevivência. “Os municípios precisam desses recursos. Nós temos muitos prefeitos que não conseguem pagar suas folhas, imagina fazer investimentos. Precisamos desse Orçamento Impositivo”, sublinhou.

O presidente da FGM, Haroldo Naves, prefeito de Campos Verdes, também bateu na do pagamento das emendas parlamentares impositivas já em 2019. “Os municípios vivem uma grave crise financeira. O Orçamento Impositivo da Assembleia vai levar mais recursos para onde o cidadão mora e trabalha. O recurso, de fato, vai chegar e esperamos que o adiamento não seja feito e que na pior das hipóteses que haja um escalonamento”, argumentou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.