Está em andamento na Câmara a votação do relatório que apura a denúncia de infração político-administrativa. Informações de bastidores dão conta de que a expectativa é que o prefeito seja cassado com 10 votos

A Câmara Municipal de Caldas Novas realiza na manhã desta quarta-feira, 8, sessão extraordinária para votar o relatório de cassação do prefeito Evandro Magal (PP). O julgamento do relatório da Comissão Processante que apura a denúncia de infração político-administrativa apresentada contra o Magal já está em andamento.

A grande dúvida é o voto do vereador Andrei Rocha. Segundo informações de vereadores, a justiça concedeu uma liminar declarando o líder do prefeito na Câmara impedido de votar. O impedimento seria decorrente do fato de Andrei ser irmão do advogado do prefeito, além de serem sócios do mesmo escritório de advocacia, o Rocha Teles Advogados e Associados.

A expectativa é que o prefeito seja cassado com até 10 votos, maioria da Casa.

Entenda o caso

São apontadas 94 condutas criminosas que tiveram origem na Operação Negociata, que investiga crimes em licitações e em alterações do Plano Diretor de Caldas Novas.

A operação que ocorreu em 2018 e foi coordenada pelo Ministério Público de Goiás, que investigou indícios de recebimento de vantagens por integrantes do Executivo de Caldas Novas em troca de alteração do Plano Diretor da cidade para beneficiar empreendimentos.