Prefeita de Valparaíso afirma estar tranquila quanto à rejeição de suas contas

Lucimar Nascimento afirmou que responderá aos questionamentos. Petista ressaltou ainda que não concorre à reeleição e que não acredita na vitória de Lêda Borges

| Foto: Reprodução Facebook

Prefeita afirmou querer terminar seu mandato sem precisar dividir atenção com pleito eleitoral | Foto: Reprodução Facebook

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) liberou, nesta quarta-feira (17/2), parecer prévio que reprova as contas da atual prefeita de Valparaíso, Lucimar Nascimento (PT). Procurada pelo Jornal Opção, Lucimar se disse tranquila quanto à decisão e que já vem tomando as providências para reverter a situação.

“Já respondi uma parte e estou providenciando a resposta do resto”, afirmou ela, lembrando que a reprovação está em um parecer prévio. “Tenho um grande respeito pelo trabalho do TCM e acompanho pessoalmente os processos deles”, ponderou. “Se todos os municípios conseguissem fazer o que eu fiz em termos de organização de contas, seria ótimo”, concluiu.

Prefeitura de Valparaíso

Conforme já havia anunciado, por carta, Lucimar não irá disputar a reeleição no pleito de 2016. “Não foi uma decisão fácil, mas muita bem pensada”, disse ela. “A vida inteira, desde que me filiei, o fiz pela minha luta em prol de uma sociedade melhor”, defendeu, explicando que sua intenção é terminar seu mandato sem ter que se preocupar com uma campanha eleitoral. “Quero poder dedicar minha atenção para a gestão, para concluir meu mandato da melhor forma possível”, esclareceu.

Apesar dos baixos índices de aprovação na cidade, Lucimar confia que seu mandato foi “O melhor dos cinco últimos em Valparaíso”. “Reorganizei a máquina da cidade, levantei recursos, vou entregar a cidade 20 vezes melhor do que quando eu recebi”, prometeu ela. Lucimar reafirmou que o nome do PT para sua sucessão deve ser mesmo o vereador Professor Silvano.

Questionada sobre quais seriam as chances de Lêda Borges, sua adversária na disputa de 2012 e ex-prefeita do município, conseguir retornar ao cargo, Lucimar acredita serem pequenas. “Acredito que ela não vença, primeiro porque ela tá inelegível. E depois porque a cidade hoje compreende que o governo dela virou passado, destruiu a cidade”, opinou.

“Temos uma grande grupo aqui que não aceita ela de volta”, disse. “Foi um governo que abandonou obras federais, que falava publicamente que deixaria a situação difícil para me atrapalhar e eu fiz questão de ir atrás de documentos, de retomar o andamento”, criticou Lucimar.

Deixe um comentário