Adeptos da prática treinam em Goiânia em grupo com o objetivo de conquistar força, equilíbrio e saúde

Reprodução

Calistenia ou street workout. São estes os nomes dados à modalidade de treinamento físico que tem como principal característica a realização de exercícios que utilizam somente o peso corporal. Apesar de parecer algo simples e comum, cada vez mais pessoas têm aderido à prática como treino complementar, levando sua aplicação muito a sério.

Quem apresenta a modalidade a Goiânia é o coach e estudante de educação física, Felipe Coutinho, que, além de atuar na área de calistenia, também ensina musculação e treinamento para TAF (teste de aptidão física). Ele e outros dois profissionais, Bruce Marques e Vitor Matos, são idealizadores de um grupo que pratica a calistenia na capital, e conta que estes exercícios são originários da ginástica e integram uma modalidade antiga, mas que só agora vem ganhando mais adeptos.

“Na época em que iniciamos o grupo, éramos somente três amigos e praticávamos por diversão, assistindo vídeos de exercícios e aprendendo. Era algo diferente do comum e, com o passar do tempo, acabamos criando um interesse mais profissional na modalidade, praticando e buscando, até hoje, levar a calistenia para as pessoas que também querem aprender”, disse Felipe.

Idealizadores do grupo de calistenia em Goiânia Bruce Marques, Felipe Coutinho e Vitor Matos | Foto: reprodução

Dentre os benefícios adquiridos pela prática, o treinador inclui força, resistência, elasticidade, consciência corporal, equilíbrio e promoção da saúde e bem estar. “Além disso, a calistenia não possui um limite de faixa etária nem gêneros, portanto todos podem aderir à modalidade”, explica ele.

No entanto, Felipe lembra que há uma rotina de exercícios para aqueles que buscam ingressar na calistenia, desde iniciantes ao nível mais avançado. “Nosso grupo Calisteniagyn possui um turma com treinos aberto todos os domingos a partir das 8h30 da manhã no parque Flamboyant. Os interessados em fazer uma aula experimental podem entrar em contato conosco atrás do direct em nosso Instagram oficial @calisteniagyn ou pelo número (62) 99562-5798”, convida ele.

Uma das praticantes do grupo de Felipe, a autônoma, Alâna Pereira de Morais, de 21 anos, conta como foi sua experiência ao se tornar adepta da calistenia. “Depois do convite do Felipe para participar desses treinos, aceitei e acabei gostando muito, tanto pela mecânica dos movimentos que me atraem quanto pelo equilíbrio e força que a modalidade me proporciona”, conta ela, que já pratica os exercícios há mais de um mês.

Foto: reprodução

Para reforçar a qualidade desta prática de exercícios, o Jornal Opção também conversou com outro profissional da área. A nutricionista Juliano Lourenço, especialista em nutrição esportiva, garante que a prática pode contribuir para uma vida mais saudável.

“Sempre que praticados da forma corretas e com acompanhamento de um profissional, exercícios físicos, mesmo estes que utilizam como peso o próprio, podem ajudar na perda de gordura, ganho de massa magra e outros benefícios referentes à saúde do corpo”, atesta.