Pra fechar o Capitólio nos Estados Unidos bastaram arruaceiros e um filho de brasileiros

Samuel Pinho Camargo foi indiciado pelo FBI, que o acusa de ter cometido pelo menos quatro crimes

Juscelino Goulart de Oliveira

Especial para o Jornal Opção

O deputado o deputado Eduardo Bolsonaro disse que, para fechar o Supremo Tribunal Federal, era preciso apenas de um soldado e um cabo. Nos Estados Unidos, para fechar o Capitólio, ainda que por um dia, bastou um grupo de arruaceiros trumpistas e, sim, um “brasileiro” — Samuel Pinho Camargo. Ou melhor, americano, nascido em Boston, mas filho de brasileiros.

Samuel Pinho Camargo: trumpista | Foto: Reprodução do Fakebook

Localizado pelo FBI, Samuel Camargo será processado com base em quatro denúncias: “Obstruir o trabalho de agentes das forças de segurança; por entrar em local restrito sem autoridade para fazê-lo; por envolve-se conscientemente em ato de violência física contra pessoas ou propriedades em locais restritos; e por usar conduta desordenada ou perturbadora para interromper uma sessão do Congresso — no caso, a certificação da vitória do presidente eleito dos Estados Unidos”.

O FBI pediu aos americanos que denunciem invasores do Capitólio e recebeu mais de 140 mil ligações. Samuel Camargo se incriminou ao mostrar no Instagram um pedaço de metal que teria arrancado de alguma sala do Capitólio (e confessou: “Peguei algumas recordações, fiz eu mesmo”). Publicou também imagens de ele forçando para entrar no Congresso americano. Logo um amigo e ex-colega de turma escolar enviou as imagens para a polícia federal americana.

Procurado pelo agente do FBI Michael Attard, Samuel Camargo não se mostrou disposto a cooperar. Mas, ao publicar imagens e mostrar material que retirou do Capitólio, o jovem de 26 anos se incriminou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.