PPS diz que Virmondes é “infiel” e abrirá processo se deputado apoiar Delegado Waldir

Presidente metropolitano disse entender que situação é delicada, mas que não pode ignorar postura contrária à legenda. Para ele, parlamentar foi incoerente

| Foto: Fernando Leite e Marcos Kennedy

“Não compactuamos com esse tipo de prática”, criticou Darlan | Foto: Fernando Leite e Marcos Kennedy

O presidente metropolitano do PPS, Darlan Braz, criticou, nesta segunda-feira (15/8), o deputado estadual Virmondes Cruvinel (PPS) por declarar que vai apoiar Delegado Waldir (PR) na disputa pela Prefeitura de Goiânia. Virmondes tomou essa decisão porque sua mãe, Rose Cruvinel (PMN), aceitou o convite do PR para ser vice do delegado.

Até a véspera do registro da candidatura, Virmondes era cotado para ser vice de Vanderlan Cardoso (PSB). Em uma reviravolta, o PSB aceitou o apoio do PSDB e lançou Thiago Albernaz como vice, mas o PPS seguiu apoiando Vanderlan. Quando sua mãe foi confirmada na chapa de Waldir, Virmondes disse que não teve influência da decisão e que só ia apoiá-lo porque, como filho, não tinha outra opção. Ele disse ainda que o PPS já tinha aceitado sua posição.

Segundo Darlan, ao contrário do que vem afirmando Virmondes, não houve um entendimento pacífico quanto ao assunto. “Eu estive na conversa com o presidente do partido, Marcos Abrão, e ele disse que enquanto pessoa nós entendíamos, mas que como dirigentes, não poderíamos aceitar como normal a posição dele”, afirmou.

“Até a noite de quinta-feira ele estava cotado como vice, não deu certo e na sexta-feira a mãe dele amanhece vice e ele muda de lado”, critica Darlan. Ele disse ainda que as declarações de Virmondes serão levadas à Comissão de Ética do partido. “O deputado [federal] Marcos Abrão deixou claro que ele não poderia emitir posicionamento e vai abrir um processo contra ele”.

O entendimento do PPS é que a decisão de Virmondes será encarada como um ato de infidelidade. “Por mais que seja a mãe dele, quando tomamos a decisão de acompanhar o partidarismo, temos que nos comprometer com o programa”, continuou Darlan, “Quando ele toma um posicionamento, está indo contra o que se comprometeu”.

Para Darlan, Virmondes não foi coerente. “Foi para convenção, fez discurso apoteótico, dizendo que Vanderlan era o melhor nome para Goiânia e logo em seguida declara apoio a outro candidato?”, questiona. “Não compactuamos com esse tipo de prática. Esperamos que ele apoie Vanderlan”, finalizou o presidente.

O Jornal Opção tentou falar com Virmondes, mas não conseguiu contato até o fechamento da matéria.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.