Possível candidata à prefeitura de Goiânia, Dra Cristina diz que Capital precisa se atualizar

Vereadora tucana afirma que tem vontade de empreender com um trabalho inovador e moderno na Capital, engajando funcionalismo

Dra. Cristina em entrevista no Jornal Opção | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A vereadora Dra. Cristina (PSDB) confirmou ao Jornal Opção que tem trabalhado para disputar a prefeitura de Goiânia no próximo pleito. “Minha votação em Goiânia foi bastante expressiva e tenho trabalho solidificado, na Capital”, afirmou.

Além disso, a parlamentar municipal destacou que algumas pessoas, inclusive deputados, têm sugerido a ela que entre na disputa. Mas ela não garante: “Estou com a perspectiva de construção. Pode acontecer, caso haja uma pesquisa qualitativa que me aponte”.

Dra. Cristina informou que tem vontade de empreender com um trabalho inovador e moderno. Ela revela que esteve, recentemente, em Florianópolis e lá implantaram subprefeituras, o que descentralizou o trabalho. “Goiânia cresceu em número de pessoas, mas ficou parada no tempo, analógica”, criticou ao citar, ainda, que os locais privados evoluíram, mas os públicos não.

“Quero atualizar a cidade. Estamos perdendo a nossa identidade e somos uma população criativa e preparada”, emendou. Segundo ela, o funcionalismo público da capital tem excelência, mas está acuado e não “se atreve” nem a fazer sugestões. “É necessário engajar mais o funcionalismo público nas decisões da administração pública”, pontuou.

Possibilidades e propostas

Dra. Cristina explicitou que já tem se reunido com vários grupos ligados à Saúde, mas também  de arquitetura e urbanismo. Ela garante pensar muito na cidade e avalia que as tragédias ocorridas recentemente são caracterizadas por ausência de planejamento e fiscalização.

“Não temos planejamento e a fiscalização é precária. Por isso estamos em fase de debater e construir um projeto”, revelou ela sobre parte do rumo de um possível plano.

Regras do jogo

Questionada sobre possíveis mudanças na próxima eleição, ela afirma ver o último pleito (presidencial) como um teste. “Aprovaram um projeto desconhecido, não houve proposta ou debate. As pessoas só acreditaram em uma mudança”, disse.

Para ela, hoje, o modelo usado naquele momento, das redes sociais e sem conversas diretas com a população, não será um vitorioso nas próximas eleições. “Pessoas vão exigir mais em 2020. Vão querer saber mais sobre os projetos e quais os compromissos assumidos”, avaliou Dra. Cristina.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.