Posse ou porte ilegal de fuzis passa a ser considerada crime hediondo

A Lei já foi publicada no Diário Oficial da União e entrou em vigor nesta sexta-feira (27/10)

Mayara Carvalho

A  posse ou o porte ilegal de armas de fogo de uso restrito será considerada crime hediondo. É o que prevê a Lei 13.497/2017, sancionada nessa quinta-feira (26/10) e publicada nesta sexta-feira (27/10) no Diário Oficial da União e já está em vigor.

De acordo com o Decreto 3.665/2003, arma de uso restrito é a arma que só pode ser utilizada pelas Forças Armadas, por algumas instituições de segurança, e por pessoas físicas e jurídicas habilitadas, devidamente autorizadas pelo Exército, de acordo com legislação específica.

A transformação da posse ou o porte ilegal de armas de fogo de uso restrito em crime em hediondo vai aumentar, na prática, o cumprimento de pena porque obriga que o criminoso fique em regime fechado. Há também mais rigor na progressão da pena, quando o condenado pode passar, por exemplo, a trabalhar fora da cadeia ou a cumprir prisão domiciliar.

 

O crime hediondo é considerado mais grave. Quando um crime é incluído nessa lista, não é permitido o pagamento de fiança para libertação do preso. Já são considerados crimes hediondos: homicídio quando praticado em atividade típica de grupo de extermínio, lesão corporal dolosa de natureza gravíssima e lesão corporal seguida de morte contra autoridades e seus parentes, latrocínio, extorsão qualificada pela morte ou mediante sequestro, estupro, genocídio, falsificação de medicamentos, favorecimento de prostituição ou de exploração sexual de criança ou adolescente ou de vulnerável.

 

Deixe um comentário