Por ordem da Justiça eleitoral, PF faz operação contra compra de votos no interior do Tocantins

Polícia Federal teve conhecimento de que candidatos estariam distribuindo e estocando cestas básicas para futura distribuição a eleitores podendo configurar abuso de poder político e econômico e ainda crime de compra de votos

Foto: Divulgação

Em cumprimento a determinação da Justiça Eleitoral do Tocantins, a Polícia Federal deflagrou na quinta-feira, 05, a Operação “Xicaca”, visando coibir suposta distribuição de cestas básicas a eleitores por candidatos no município de Centenário, região central do Estado.

Os agentes cumpriram quatro mandados de busca e apreensão no município de Centenário, expedidos pela 33ª Zona Eleitoral de Itacajá. Durante a operação, dezenas de cestas foram encontradas em uma residência particular, que não pertence a nenhum dos candidatos a prefeito.

A Polícia Federal teve conhecimento de que candidatos estariam distribuindo e estocando cestas básicas para futura distribuição a eleitores podendo configurar abuso de poder político e econômico e ainda crime de compra de votos. Segundo informações apuradas, as cestas foram entregues pelo Governo do Estado para uma associação. Neste caso, os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa e compra de votos.

Operação “Alcofa”

Já na sexta-feira, 06, a Polícia Federal está cumprindo 12 mandados de busca e apreensão nas cidades de Pequizeiro e Colinas do Tocantins, em uma investigação para coibir diversos crimes eleitorais. A operação começou nas primeiras horas da manhã e foi denominada “Alcofa”.

A PF informou que tomou conhecimento da possível existência de atos que configurariam abuso de poder político e econômico na distribuição de cestas básicas, contratos de serviços com empresários locais e compra de apoio político. Tais contratações, inclusive, teriam sido feitas em valores acima dos praticados no mercado. Para os investigadores, os atos estariam sendo utilizados para influenciar a eleição no município de Pequizeiro.
São 48 policiais cumprindo as ordens judiciais expedidas pela 16ª Zona Eleitoral de Colméia. Os investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa, compra de votos, lavagem de dinheiro e peculato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.