Por fraude em exames, mais laboratórios de Goiânia podem ser fechados nesta semana

De acordo com delegado Izaías Pinheiro, investigação que apura falsificação de laudos clínicos será retomada nos próximos dias

Após a interdição do Imuno Laboratório Clínico, alvo de ação da Polícia Civil no final de março, por suspeita de fraude em exames de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e caótica condições de armazenamento de materiais colhidos, outros laboratórios de Goiânia podem ser fechados nos próximos dias. De acordo com o delegado Izaías Pinheiro, ainda esta semana a operação deve ser retomada.

Em entrevista ao Jornal Opção, o delegado afirmou que a investigação continua em parceria com a Vigilância Sanitária em outros locais que se encontram na mesma situação.

O caso

O Imuno Laboratório Clínico, localizado no setor Aeroporto, utilizava materiais para a realização dos procedimentos de forma negligente. As amostras de sangue eram colhidas pela faxineira e o material coletado era guardado em uma geladeira, junto com alimentos.

As investigações apontam ainda que o equipamento de exames estava quebrado, portanto os resultados eram analisados a olho nu. Além disso, de acordo com a polícia, kit indicado para realizar cerca de 50 exames era usado mais de 600 vezes.

Por isso, a corporação trabalha com a possibilidade de que vários exames realizados no laboratório estejam com resultado adulterado e fora da condição médica do paciente.

O farmacêutico Selim Jorge João e o biomédico Edson Yukazu Ozawa respondem por crimes contra a saúde, falsificação de exames e desvio de dinheiro público. O advogados dos dois, Breno de Freitas Kechichian, afirmou à reportagem  que os crimes “não têm lógica”.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.