Por “erro de digitação”, prefeitos do PMDB são incluídos em lista de expulsão

Na verdade, peemedebistas Wellington Almeida (Estrela do Norte) e Oldemar Filho (São Domingos) foram coordenadores da campanha de Iris Rezende, derrotado em 2014

Diretório recebe pedido de expulsão de 20 prefeitos nesta segunda-feira | Foto: Marcello Dantas

Diretório recebe pedido de expulsão de 20 prefeitos nesta segunda-feira | Foto: Marcello Dantas

Dois prefeitos do PMDB tiveram seus nomes incluídos erroneamente na lista de “infiéis” que terão pedido de expulsão protocolado no diretório estadual do partido, nesta segunda-feira (10). Wellington José de Almeida, de Estrela do Norte, e o de São Domingos, Oldemar de Almeida Pinto Filho foram, na verdade, coordenadores da campanha do ex-governador Iris Rezende, derrotado na corrido ao Palácio das Esmeraldas em 2014.

A inclusão, segundo comunicado, foi causado por erro de digitação. “Ambos foram coordenadores de campanha e merecem nossa deferência e respeito”, informou o texto.

Inicialmente, a assessoria do deputado José Nelto, líder da bancada da sigla na Assembleia Legislativa e autor da proposta, divulgou lista com 22 prefeitos que teriam aderido, em 2014, à campanha do candidato ao governo de Goiás Marconi Perillo (PSDB), que conquistou o quarto mandato.

Os 20 peemedebistas podem seguir o mesmo caminho do empresário Júnior Friboi, expulso por declarar apoio ao tucano durante a campanha. “Todos terão pedidos de expulsão fundamentados na infidelidade às diretrizes partidárias do PMDB”, diz o texto.

Veja, abaixo, a relação correta dos prefeitos infiéis.

Screenshot_1

2 respostas para “Por “erro de digitação”, prefeitos do PMDB são incluídos em lista de expulsão”

  1. VOX disse:

    PMDB da hipocrisia.
    Tem prefeitos do PMDB que declararam publicamente que não iam apoiar a candidatura (ou apoiar uma nova derrota?) de Iris em sua cidade e que JAMAIS vão estar nesta lista pela sua importância no contexto político do estado.
    Eles ficam fingindo que estão “moralizando o partido”.
    Uai, se tem peito então expulsem o maior prefeito que do PMDB tem no estado, que é prefeito de uma das maiores cidades de Goiás e que declarou publicamente que não ia apoiar o IRIS e não apoiou.
    Tem medo né seus hipócritas? Pois, sabem que ele é o provável governador do estado nas próximas eleições, pelo excelente trabalho que ele fez em sua cidade e pela fama de excelente administrador que ele goza.
    Deixem de hipocrisia e parem de usar os pequeninos do partido, como ferramenta de manobra!!

  2. Caio Maior disse:

    Só a vox da traição tenta confundir a verdade com tamanha desfaçatez. HIPÓCRITAS são os membros de um partido DE OPOSIÇÃO que tem a cara de pau de apoiar o candidato do partido adversário, DO GOVERNO! Discordam da Convenção do partido ao qual se filiaram livremente? Divergem de uma escolha das legítimas instâncias decisórias do Partido? Fizeram uma escolha pessoal incompatível com a deliberação partidária – e colocam seu interesse acima de tudo? Pois então que busquem outro caminho! Não sejam covardes! Sigam seu rumo! E mais: tenham a dignidade de assumir publicamente suas opções, sem hipocrisia, sem falsidade, sem subterfúgios, sem traições! Todos são livres para fazer escolhas – mas os membros de todo partido estão obrigados a acatar seu programa e as decisões soberanas das convenções. Discordam? Tenham coragem para assumir suas escolhas. Sem perder o respeito dos antigos companheiros. Sabe-se que o trânsfuga partidário se disfarça de “companheiro” para apunhalar quem deveria ajudar – isso quando a solidariedade se faz mais valiosa. Esse tipo de “político” só merece desprezo. A fidelidade é um princípio básico da democracia e fundamento da ética partidária. E a lealdade é característica de quem tem ‘vergonha na cara’. Lógico e óbvio. Só não vê quem não quer. Ou quem não a possui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.