Por decisão da Justiça, Cristóvão Tormin segue afastado da Prefeitura de Luziânia por mais 6 meses

O prefeito está afastado do cargo desde fevereiro, quando a justiça acatou a denúncia de crime por importunação sexual

Cristóvão Tormin segue impedido de reassumir a Prefeitura de Luziânia por mais seis meses. A decisão da Juíza Luciana Oliveira de Almeida foi publicada na quinta-feira, 18. O prefeito é investigado pelo crime de importunação sexual contra uma servidora do município. Ele está afastado desde fevereiro desde ano.

A primeira decisão que afastou Cristóvão Tormim do cargo de prefeito de Luziânia tinha um prazo que se findava nesta sexta-feira, 19. No entanto a justiça decidiu estender o afastamento por mais seis meses, enquanto o processo de importunação sexual contra ele tramita no TJ.

A vice-prefeita, Edna Aparecida Alves, que assumiu a Prefeitura de Luziânia, já foi notifica pela justiça e assim ela permanece no cargo por mais 120 dias.

O caso

Cristóvão Tormin foi denunciado pelo crime de importunação sexual de uma servidora do município. As primeiras denúncias chegaram ao MP em novembro de 2019 e o crime contra a servidora seria apenas a primeira denúncia.

Outros casos ainda passam por investigação e também podem resultar em denúncias contra Tormin. Apesar do afastamento, o prefeito pode entrar com recurso para obter uma revisão da decisão. A investigação criminal foi produzida exclusivamente pelo MP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.