Parlamentar ainda diz que o fato de diretores pedirem habeas corpus para não prestar depoimento na CPI que investiga irregulares da empresa de energia é sinal de que devem algo

Henrique Arantes (MDB) Foto: Divulgação

A população está revoltada com a prestação de serviço apresentado pela Enel, a avaliação é do deputado estadual Henrique Arantes (MDB). Ele diz que o projeto que propõe rescisão de contrato entre Governo e a Enel, aprovado na Comissão de Constituição e Justiça, da Assembleia Legislativa, ressoa a vontade da comunidade. “O povo não aguenta ter a energia cortada, os comércios sem energia tendo prejuízos”, diz.  

Em fala dura, o parlamentar ainda diz que o fato de diretores pedirem habeas corpus para não prestar depoimento na CPI que investiga irregulares da empresa de energia é sinal de que devem algo. “Temos subsídios suficientes. A Enel mente para a imprensa e para a população. Temos esses indícios suficientes disso. Vamos pedir indiciamento junto ao Ministério Público e a Justiça para que apurem o caso”, afirma.   

Na última semana, o diretor de Relações Internacionais da Enel , José Nunes, deixou de comparecer a oitiva da CPI. Essa foi a terceira vez que um convocado deixa de comparecer perante a uma CPI da Alego, através de liminar emitida pela Justiça.