População desempregada cresce quase 32% em Goiás, segundo IBGE

Cerca de 396 mil pessoas estavam desocupadas no quarto trimestre de 2019, número demonstra aumento de 96 mil pessoas na categoria, em relação ao mesmo trimestre de 2018

Foto: Reprodução

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados, nesta sexta-feira, 14, com a análise da taxa de desemprego em Goiás. De acordo com o estudo, a desocupação no Estado foi estimada em 10,4% no 4º trimestre de 2019. No mesmo trimestre do ano anterior, a taxa estava em 8,2%. O aumento de 2,2 pontos percentuais foi a maior variação entre as unidades da Federação.

Em 2019, havia cerca de 396 mil pessoas desocupadas no Estado no quarto trimestre de 2019, o que representou crescimento de 32,1%, ou seja, um aumento de 96 mil pessoas desocupadas em relação ao 4º trimestre de 2018, quando foi registrado cerca de 300 mil pessoas na categoria.

No trimestre avaliado, a taxa de informalidade goiana — trabalhadores sem carteira,
trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, conta própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar — foi de 41,3%, percentual recorde da série histórica de Goiás.

Já Goiânia apresentou a terceira menor taxa dentre as capitais brasileiras. A taxa de desocupação nacional foi de 11% e o município goianiense registrou 7,3%.

Dentre as  atividades analisadas como trabalho principal, as únicas que apresentaram
aumento no número de ocupados foram a Construção, o Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas e os Serviços domésticos. Os Serviços domésticos tiveram a maior variação percentual em relação ao trimestre anterior. Estima-se que 34 mil pessoas foram empregadas nesse ramo de atividade entre o quarto trimestre de 2018 e o quarto trimestre de 2019, variando de um total de 239 mil pessoas para 273 mil, o que representa um aumento de 14,3%.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.