Políticos dão como certa mudança de três deputados durante janela

Mas não estão descartados no troca-troca partidário que se inicia esta semana que nomes considerados inesperados também saiam de seus partidos em busca de novas casas eleitorais

Dadas como mudanças certas durante a janela, somente as do deputado federal Delegado Waldir e dos deputados estaduais Lissauer Vieira e Renato de Castro

Dadas como mudanças certas durante a janela, somente as do deputado federal Delegado Waldir e dos deputados estaduais Lissauer Vieira e Renato de Castro, são confirmadas até o momento

Aprovada em dezembro de 2015, a Proposta de Emenda à Constituição número 113 de 2015 (PEC 113/15) cria uma janela de mudança partidária, na qual o político que ocupa mandato eletivo não perderá o seu cargo se trocar de legenda nos 30 dias seguintes à promulgação da PEC.

Em Goiás, os políticos ouvidos pelo Jornal Opção dão como certas, de início, as saídas já divulgadas do deputado federal Waldir Soares, o Delegado Waldir, do PSDB, que pode ter como nova possível casa o Partido da República (PR). Por coincidência ou não, o PR tem como número 22, a mesma quantidade de razões apresentadas pelo Delegado Waldir para desistir das prévias do PSDB em Goiânia para decidir o pré-candidato.

Outros nomes que já seriam mais do que conhecidos são os dos deputados estaduais Renato de Castro, que tende a deixar o PT para confirmar sua aproximação mais do que evidente com o PMDB e se lançar pré-candidato a prefeito de Goianésia, e Lissauer Vieira, que sairá da Rede para entrar na disputa pela Prefeitura de Rio Verde pelo PP do prefeito Juraci Martins, já reeleito, ou o PSB da senadora Lúcia Vânia.

A PEC 113/15 será promulgada nesta quinta-feira (18/2), com o prazo de 30 dias para mudanças partidárias que começa a contar no dia seguinte à promulgação, ou seja, a partir de sexta (19).

Mas a Lei Federal número 13.165, de 29 de setembro de 2015, em seu artigo 22-A, permite a “mudança de partido efetuada durante o período de trinta dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para concorrer à eleição, majoritária ou proporcional, ao término do mandato vigente”. Com isso, alguns analisam que haverá uma segunda janela, na qual podem acontecer mais trocas de partidos.

Nova janela

Como o primeiro turno das eleições de 2016 acontecerá no dia 2 de outubro, o prazo estabelecido pela Lei 13.165 obedece ao exigido mínimo para mudar de partido e poder concorrer naquele ano, que são até seis meses antes da votação. Então entre 2 de março e 2 abril teríamos uma segunda janela.

E é nessa segunda janela que políticos ouvidos pelo Jornal Opção acreditam que insatisfeitos em seus partidos, inclusive deputados federais do PSDB, podem deixar o partido e buscarem novas legendas, já que estariam protegidos contra a perda do mandato.

Entre os nomes apontados como insatisfeitos e que poderiam deixar o PSDB estão os deputados federais Alexandre Baldy, Fabio Sousa, o já divulgado Delegado Waldir e João Campos. Segundo fontes consultadas, seriam 12 os insatisfeitos.

O ninho tucano, segundo os políticos ouvidos pela reportagem, teria como satisfeitos dois parlamentares: os deputados federais Giuseppe Vecci, que disputa as prévias para ser pré-candidato a prefeito pelo PSDB, e Célio Silveira.

Baldy, Fabio e João Campos, além de Waldir, teriam insatisfações das disputas pela presidência do PSDB estadual no ano passado e durante a definição do pré-candidato a prefeito de Goiânia no partido.

Legislativo goiano

Na Assembleia Legislativa, discute-se a possibilidade de o deputado estadual Humberto Aidar, que tem interesse em ser pré-candidato a prefeito de Goiânia, deixar o PT e buscar um partido moderado. Pode surgir como surpresa, mas há a chance também de Talles Barreto sair do PTB e se filiar ao PSDB.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.