Policial civil suspeito de integrar organização criminosa é preso em flagrante em Goiânia

Além do policial, um vigilante penitenciário e dois comerciantes são investigados por extorsão, tráfico de drogas, armas, posse ilegal e até estupro de vulnerável

Na manhã desta quarta-feira, 13, a Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Gerência de Correições e Disciplina, prendeu preventivamente envolvidos em organização criminosa, que praticava extorsão, tráfico de drogas e traficavam e tinham posse ilegal de armas.

Dentre os quatro presos, um é Gabriel Felix de Jesus, um policial civil em estágio probatório, xerife em seu curso de formação, e outro é José Luiz Rodrigues Lima, recém aprovado no concurso de Vigilante Penitenciário Temporário da Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Os outros dois são os vendedores Guilherme Francisco Dias dos Santos e Lucas Moreira da Costa.

O delegado responsável pelo caso, corregedor Guilherme Conde Correa, disse ao Jornal Opção, que o policial civil envolvido também é acusado de estupro de vulnerável por ter supostamente abusado de uma adolescente de 14 anos de idade.

De acordo com o delegado, comprovou-se a participação do grupo em uma organização criminosa que agia em todo o Estado. Além dos crimes enumerados, eles roubavam objetos de valor de pequenos traficantes sob a condição de não prendê-los, o que é considerado extorsão.

Durante a operação foram apreendidas duas armas de fogo, sendo uma pistola calibre 380 mm e uma espingarda adulterada. Devido à essa apreensão, o policial civil Gabriel Feliz foi preso em flagrante.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.