Policial civil de Anápolis é alvo de operação por postagem contra STF e ministros

PC afirma que aguarda informações oficiais a fim de apurar eventual desvio de conduta do servidor

Foto: Reprodução

Um dos dez mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira, 16, contra suspeitos de realizarem ataques, na internet, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e seus ministros é direcionado a um policial civil do estado de Goiás.

Omar Rocha Fagundes é escrivão da Polícia Civil de Anápolis e teria disseminado ‘fake news’ publicadas pelos portais de notícias O Antagonista e Crusoé.

Os conteúdos foram publicados na semana passada e diziam respeito ao presidente da Corte, Dias Toffoli, supostamente mencionado em um e-mail do empresário e delator na Operação Lava Jato, Marcelo Odebrecht.

Outro investigado

Outro investigado, o general da reserva Paulo Chagas (PRP-DF) se pronunciou, por meio do Twitter, na manhã desta terça-feira, 16, logo após ser surpreendido ser informado sobre a presença dos agentes em sua residência em Brasília.

“Caros amigos, acabo de ser honrado com a visita da Polícia Federal em minha residência, com mandado de busca e apreensão expedido por ninguém menos que do que o ministro Alexandre de Moraes. Quanta honra! Lamentei estar fora de Brasília e não poder recebe-los pessoalmente”, escreveu no Twitter.

Polícia Civil

A Polícia Civil de Goiás informou que aguarda informações oficiais acerca da investigação do Supremo Tribunal Federal, a fim de apurar eventual desvio de conduta do servidor em tela.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.