Policial acusado de matar Ágatha Félix vira réu e pode pegar até 30 anos de prisão

Segundo juíza, menina morreu por erro do policial, haja vista que não existia qualquer confronto no momento do disparo

Foto: Reprodução/Internet

A Justiça acatou a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) contra o policial militar Rodrigo José de Matos Soares. Ele é acusado de, em setembro deste ano, ter disparado um tiro fatal contra Ágatha Félix, de 8 anos, no Complexo do Alemão (RJ).

Com a decisão, o militar se tornou réu no processo e teve seu porte de arma cassado. Além disso, Rodrigo fica proibido de exercer atividades de policiamento nas ruas. O militar irá responder por homicídio qualificado podendo ser enquadrado em uma pena que varia entre 12 e 30 anos de prisão.

Segundo a juíza do caso, Viviane Ramos Faria, o policial não agiu em legítima defesa como alegado na fase inicial da investigação. A magistrada entendeu que a menina morreu por erro do policial, haja vista que não existia qualquer confronto no momento do disparo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.