Policiais envolvidos na morte de refém em Senador Canedo são presos

Dois agentes tiveram mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça após pedido do Ministério Público

Foram presos na noite da última quinta-feira (30/11) os dois policiais militares do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) envolvidos na abordagem que resultou na morte do refém de um roubo de carro em Senador Canedo e também do suspeito desse crime no último dia sábado (25/11).

As prisões temporárias foram decretadas pelo Juiz Criminal da comarca de Senador Canedo, após representação do Ministério Público de Goiás (MP-GO) e da Polícia Civil de Goiás (PC-GO).

A decisão também acolheu o pedido de afastamento das funções públicas dos quatro policiais militares envolvidos. Na abordagem, foi morto o auxiliar de produção Tiago Messias Ribeiro e o adolescente que teria roubado o seu veículo.

O prazo para a conclusão do Inquérito Policial é de 30 dias. Após a sua conclusão, o procedimento policial será encaminhado ao Ministério Publico.

O caso

Tiago Messias Ribeiro, de 31 anos, foi morto na noite do último sábado, enquanto era feito refém. Ele foi abordado pelo suspeito na chácara onde mora com a família, em Senador Canedo, sendo obrigado a entrar no carro e dirigir para o assaltante. O tiroteio ocorreu próximo a um posto de gasolina.

Em um primeiro momento, a polícia informou que os agentes haviam sido recebidos a tiros e, por isso, revidaram. Na segunda-feira (29), entretanto, imagens mostraram o homem sendo socorrido após ser baleado.

No vídeo, a vítima é retirada do carro e colocada no porta-malas do veículo da PM. Neste meio tempo, um outro policial entra no VW Gol pela porta do passageiro, se abaixa e faz vários disparos no para-brisas do veículo.

A suspeita é de que a polícia manipulou a cena do crime para parecer que os tiros foram dados em legítima defesa.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.