Policiais Civis discutem questões salariais em Assembleia Geral na Ugopoci

“Quando Governo não cumpre sua parte nós somos obrigados a nos organizar e cobrar que isso seja feito”, declarou presidente da União dos Policiais Civis

Foto: Reprodução

Os Policiais Civis de Goiás participarão, na tarde desta quarta-feira, 28, de uma Assembleia Geral Extraordinária, convocada pelo presidente da União Goiana dos Policiais Civis (Ugopoci), José Virgílio Dias. A reunião terá início às 14h e será realizada na sede da Ugopoci — Rua 66 n° 135 no Setor Central.

No encontro, os policiais irão deliberar sobre a proposta de ação que visa garantir o recebimento de correção referente ao atraso do pagamento do mês de dezembro de 2018. Também será discutida a propositura da 2ª ação referente a Unidade Real de Valor (URV), visando beneficiar os associados que não fizeram parte do polo ativo da 1ª ação em 2017.

Outro tema que será discutido diz respeito a proposta de ação com foco na data base dos anos de 2018 e 2019. Outros temas que serão colocados em pauta são: direito de recebimento de adicional noturno, o recebimento de resíduos relativos ao aumento de 12,33% — que deveria ter sido pago em 2015 — e alterações do Estatuo da classe.

“Existe um grande descontentamento dos policiais. Quando o Governo não cumpre sua parte nós somos obrigados a nos organizar e cobrar que isso seja feito. Queremos, por exemplo, que o Governo entenda o que pensamos sobre a data-base. Isso não é um aumento, é um reajuste legal”, explicou o presidente da Ugopoci, José Virgílio Dias.

Ele enfatizou que este é apenas um dos oito pontos que serão discutidos na tarde de hoje e, por fim, disparou: “Mas todos eles tem grande importância para os policiais civis de Goiás”. A reportagem procurou assessoria de comunicação da Polícia Civil de Goiás que optou por não se pronunciar sobre o assunto.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.