Polícia Técnico Científica triplica serviços prestados em 2016

Ao apresentar balanço das atividades, superintendente Rejane Barcelos diz que nomeação de 230 novos servidores elevou efetivo em quase 70%

Superintendente da Polícia Técnico-Científica analisa dados de 2016 | Foto: Jota Eurípedes

Superintendente da Polícia Técnico-Científica analisa dados de 2016 | Foto: Jota Eurípedes

A Polícia Técnico-Científica de Goiás divulgou, na última terça-feira (19/12), o balanço das atividades realizadas entre janeiro e novembro deste ano pelo Instituto de Medicina Legal Aristoclides Teixeira e Instituto de Criminalística Leonardo Rodrigues, além dos 14 Núcleos Regionais em todo o estado.

De acordo com a superintendente da Polícia Técnico-Científica, Rejane Barcelos, a contratação de 230 novos policiais técnico-científicos, o que elevou o efetivo em quase 70%, além de outros investimentos, possibilitou dobrar a quantidade de análises em vários laboratórios e triplicar os serviços. “Devemos isso à sensibilidade do governo que fez o chamamento dos concursados e investiu em aquisição de insumos e equipamentos”, afirmou.

O aumento de pessoal permitiu, por exemplo, que o IML realizasse 9.544 exames de lesão corporal; 6.221 exames cadavéricos; e 2.836 exames de prática sexual delituosa. Outros 32.644 exames de corpo de delito foram feitos em presos, de janeiro a novembro deste ano.

“As análises de drogas, realizadas em Goiânia e em Porangatu, já estão sendo feitas dentro do inquérito e em pouco tempo estaremos liberando os laudos de todas as análises dentro do prazo previsto”, destacou a superintendente. As contratações possibilitaram, ainda, segundo Rejane Barcelos, descentralizar as análises de balística, que eram feitas apenas em Goiânia. “Agora elas são feitas na capital e em Luziânia, cuja equipe foi reforçada este ano”, disse.

Ela informou, também que dos novos contratados, 55 são médicos legistas, 29 são auxiliares de autopsia e 121 são peritos criminais. Em todas as unidades da Superintendência de Polícia Técnico-Científica, o atendimento é em regime de plantão, diuturnamente. “A Superintendência espera para janeiro a nomeação do restante dos servidores concursados para que possamos fortalecer ainda mais a Polícia Científica e efetivar todas as respostas no inquérito policial, o que permitirá a punibilidade rápida dos criminosos”, acentuou.

Além do fortalecimento das equipes em todos os núcleos existentes, a Polícia Científica ganhou este ano mais uma unidade de Medicina Legal, com a inauguração do IML de Aparecida de Goiânia, pelo governador Marconi Perillo (PSDB) e pelo vice-governador José Eliton (PSDB), em novembro.

Até então, o IML de Goiânia atendia 34 municípios no raio de 100 quilômetros. Com a nova unidade, Goiânia ficou responsável pelo atendimento a 19 municípios e Aparecida ficou com 15 municípios, resultando em maior celeridade nos trabalhos.

Produtividade

Dentre as ações da Superintendência de Polícia Técnico-Científica constam mais de 6 mil veículos periciados; um aumento de 40% em relação ao ano de 2015. Foram feitas 2.839 análises instrumental em amostras e emitidos 2.193 laudos; um aumento de 61% em relação ao ano anterior. O laboratório de Biologia Forense conseguiu analisar 6.223 amostras e emitir 1.487 laudos em 2016; um aumento de mais de 100% em comparação com o ano passado.

No laboratório de Balística Forense, foram realizadas 8.428 caracterizações; um volume 7 vezes maior com a entrada dos novos peritos. Outras 3.302 armas e munições foram confrontadas pelo laboratório; um aumento de mais de 100% se comparado com o ano passado. Ainda no laboratório de Balística Forense, foram realizados 30.962 exames de funcionamento de armas de fogo; numa resposta que foi triplicada no segundo semestre com a chegada dos novos peritos.

Na Seção de Drogas, os peritos criminais emitiram mais de 20.000 laudos de constatação e identificação de drogas, o que significou um aumento de 44% em relação ao ano anterior. No laboratório de Toxicologia Forense, foram analisadas 1.192 amostras e emitidos 766 laudos, num aumento de mais de 100% se comparado com o mesmo período no ano de 2015. Em Merceologia, Autenticidade e Vistoria Forense, os peritos criminais realizaram análises em 2.852 amostras.

Outra atividade que registrou o dobro de produtividade em relação ao ano de 2015 foi a de Perícias Externas. A Polícia Técnico-Científica registrou 14.413 laudos expedidos do tipo de janeiro a novembro deste ano. O laboratório de DNA Forense conseguiu triplicar a resposta às demandas no segundo semestre com a chegada dos novos peritos. Mais de 6 mil procedimentos laboratoriais foram realizados até novembro.

Na Papiloscopia Forense, o aumento da produtividade foi de 100% em relação ao ano passado. Os peritos analisaram 3.558 objetos e emitiram 701 laudos. No de Documentoscopia Forense, o aumento foi de 43% em relação ao ano anterior, com 2.348 documentos periciados e 667 laudos emitidos este ano. (Com informações da SSPAP)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.