Polícia suíça prende ex-presidente da CBF e mais seis cartolas da Fifa

José Maria Marin e outros integrantes da federação são suspeitos de corrupção. Há ainda indícios de irregularidades na Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana

Ex-presidente da CBF José Maria Marin foi preso na Suíça | Foto: José Cruz/Agência Brasil

Ex-presidente da CBF José Maria Marin foi preso na Suíça | Foto: José Cruz/Agência Brasil

O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) José Maria Marin foi preso na Suíça nesta quarta-feira (27/5) a pedido da justiça dos Estados Unidos, juntamente com mais oito dirigentes da Fifa sob a acusação de corrupção e outros crimes praticados há duas décadas.

Os cartolas foram detidos em um Hotel em Zurique e podem ser extraditados para os EUA. Eles estão sendo questionados ainda sobre a votação para a escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022.

As acusações se baseiam em investigação do FBI, iniciada em 2011. Os autos apontam corrupção generalizada nos últimos 20 anos envolvendo a disputa pelo direito de sediar as Copas da Rússia, em 2018, e Catar, 2022, além de contratos de marketing e televisão.

Por parte de Marin, há ainda suspeitas de práticas de crimes em eventos esportivos nacionais, como a Copa do Brasil, e na América do Sul, como Libertadores e Sul-Americana.

Foram presos também Jeffrey Webb (Ilhas Cayman), vice-presidente da comissão executiva e presidente da Concacaf; Eugenio Figueredo (Uruguai), ex-presidente da Conmebol; Jack Warner (Trinidad e Tobago), acusado anteriormente de inúmeras violações éticas; Julio Rocha (Nicarágua), presidente da Federação Nicaraguense; Costas Takkas; Rafael Esquivel; Nicolás Leoz, ex-presidente da Conmebol; e Eduardo Li, presidente da Federação da Costa Rica.

Eleições

Atual presidente da Fifa, Joseph Blatter não foi preso. Ele está à frente do órgão internacional desde 1998 e disputa o quinto mandato. As eleições estão marcadas para a próxima sexta-feira (29). Por isso, quase todas as federações de futebol estão em Zurique para o congresso que vai eleger a nova presidência.

Deixe um comentário