Polícia resgata pitbull trancado em residência há mais de 30 dias

Cão foi encontrado em estado de magreza e cheio de parasitas. Tutores responderão pelo crime de maus-tratos. Caso aconteceu em Formosa, mesma cidade onde um advogado decapitou os cinco cachorros da madrasta

Em estado de extrema magreza e cheio de parasitas pelo corpo, um cão da raça pitbull foi resgatado pela Polícia Civil neste sábado, 20, após denúncia de vizinhos. O animal estava trancado há mais de 30 dias em uma residência no município de Formosa. A mesma cidade foi notícia nacional este mês porque também lá um advogado decapitou cinco cachorros e os deixou na porta da madrasta. O crime foi cometido como forma de coagi-la a acelerar a divisão da herança do pai dele, que morreu dias antes do crime que chocou o país.

Neste novo caso de maus-tratos em Formosa, o pitbull foi encontrado em condições insalubres, exposto ao sol e a chuvas. O cachorro só sobreviveu porque moradores das imediações, que acompanhavam o sofrimento do animal, jogavam alimentos através de um buraco que havia no portão.

O resgate foi realizado pela 11ª Delegacia Regional de Formosa, por meio da Central de Flagrantes, que também encaminhou o cão para tratamento veterinário. Diante da constatação dos fatos, os responsáveis pelo pitbull responderão criminalmente pelo crime de maus-tratos. Se condenados, podem ter pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e proibição da guarda.

De acordo com a Lei 9.605/98, é crime praticar maus-tratos contra animais domésticos, silvestres, nativos ou exóticos. Entre as condutas que caracterizam o crime estão abandonar; manter acorrentado, em locais pequenos sem possibilidade de circulação e/ou sem higiene; não abrigar do sol, chuva ou frio; não alimentar; não dar água, negar assistência veterinária se preciso, ferir, mutilar, envenenar; dentre outros. A lei prevê que a pena pode aumentar de um sexto a um terço se ocorrer morte do animal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.