Polícia prende sexto suspeito de envolvimento na morte de médica

Milena Gottardi foi assassinada com um tiro na cabeça a mando do marido e do sogro no último dia 14 de setembro

Assassinada no último dia 14 de setembro em Vitória (ES), a médica Milena Gottardi foi vítima de uma execução que envolveu seis suspeitos, entre mandantes, intermediários e executor. O último deles, Hermenegildo Palauro Filho, apontado como intermediário, foi preso nesta segunda-feira (25/9) em uma fazenda em Minas Gerais.

Milena foi assassinada no estacionamento do Hospital das Clínicas, onde trabalhava, a mando do ex-marido. Acompanhada de outra médica, elas foram abordadas em um suposto assalto e, mesmo sem reagir, Milena acabou baleada na cabeça. 

As investigações descartaram a hipótese de latrocínio e levaram a polícia a prender os dois primeiros envolvidos, Dionatas Alves Vieira, que confessou ter recebido R$ 2 mil pelo crime e Bruno Rodrigues, que teria roubado a moto usada por Dionatas para cometê-lo. O suspeito do assassinato teria sido orientado a simular um roubo para atrapalhar a apuração. 

Cinco dias depois, a polícia prendeu o sogro da médica, Esperidião Carlos Frasson, que teria encomendado a morte, e o lavrador Valcir da Silva, suspeito de entregar a arma a Dionatas e indicar quem era a vítima. Em depoimento, ele implicou o ex-marido de Milena, Hilário Frasson, no crime.

Em seguida, foi divulgada uma carta de Milena em que ela fala sobre os motivos da separação e afirma que Hilário tinha um comportamento agressivo e alterações bruscas de humor. Ele foi preso em 21 de setembro, suspeito de ser o mandante junto com seu pai. A defesa nega o crime.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.