Polícia prende quatro jovens suspeitos de torturar rapaz com deficiência e transmitir ao vivo

Agressores mostraram parte do crime pelo Facebook e foram identificados pelas autoridades. Eles gritavam “Dane-se Donald Trump! Danem-se os brancos!”

Vítima estaria traumatizada e já está sob cuidado da família. Ele teria ficado preso e sendo torturado pelo grupo por 48 horas | Foto: Reprodução

A Polícia de Chicago prendeu, na última quarta-feira (5/1), quatro jovens suspeitos de torturarem um rapaz com deficiência mental e transmitir o crime pelo Facebook. O grupo teria mantido a vítima presa, enquanto o agredia, o forçava a beber água da privada e a dizer “Dane-se Donald Trump! Danem-se os brancos!”.

Os agressores também diziam a mesma coisa. Embora a polícia não tenha divulgado nomes, alguns deles já foram identificados e são alvos de páginas e petições na internet. Uma das agressoras, que seria Brittany Herring, de 18 anos, transmitiu toda a tortura ao vivo pelo seu Facebook, o que permitiu que a polícia os identificasse. Apesar de ela ter apagado a publicação, de 30 minutos, vários usuários da rede social salvaram o vídeo.

Eles podem ser acusados de sequestro e tortura, mas as pessoas que pedem a punição de Brittany e dos demais envolvidos querem que o caso seja tratado também como crime de ódio, já que durante a gravação os criminosos falam especificamente sobre Trump e brancos. Todos os envolvidos, dois homens e duas mulheres, têm 18 anos e o caso teria ocorrido na terça-feira (5).

De acordo com o Daily Mail, a vítima já foi levada ao hospital e, agora, está sob os cuidados de parentes. Ele teria ficado preso por pelo menos 24 horas (A polícia acredita, no entanto, que seriam 48 horas de cativeiro) e estaria traumatizado com as agressões.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.