Polícia prende mais dois suspeitos de integrar milícia de Itaboraí

Ambos foram presos no município vizinho de Cachoeiras de Macacu. Milícia que os dois são suspeitos de integrar é apontada como responsável por pelo menos 50 mortes

Policiais penderam  neste sábado, 6, mais dois suspeitos de integrar a milícia que atua no município de Itaboraí, no Grande Rio, e que foi alvo da Operação Salvator, desencadeada na última quinta-feira, 4. Um deles é apontado como liderança do grupo. O outro seria segurança do líder.

Os dois foram presos no município vizinho de Cachoeiras de Macacu. A milícia que os dois são suspeitos de integrar é apontada como responsável por pelo menos 50 mortes desde o ano passado, inclusive uma chacina que deixou dez mortos em Itaboraí, em janeiro deste ano.

O grupo funciona, segundo a Polícia Civil, como uma espécie da milícia que atua em Curicica, na zona oeste do Rio, e que seria liderada por Orlando Curicica.

De acordo com o Ministério Público, o grupo começou a se estabelecer na região entre o fim de 2017 e início de 2018, quando passou a controlar comunidades como Visconde de Itaboraí, Areal e Porto das Caixas, que antes eram dominadas pela facção criminosa Comando Vermelho.

A Justiça concedeu mandados de prisão contra 79 suspeitos de integrar o grupo. Mais de 40 foram presos na própria quinta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.