Polícia Militar realiza entrega de alimentos em comunidades Kalunga

Foram 16 toneladas de doações arrecadadas para as vítimas da enchente. Há um ano, PM realiza ações de política comunitária com a população da região

Agentes da PM realizam trabalho social nas comunidades Kalunga em Goias | Foto: reprodução/PM5

Agentes da PM realizam trabalho social nas comunidades Kalunga em Goias | Foto: Reprodução/PM5

Terminou na última sexta-feira (25/3) o trabalho de distribuição de 16 toneladas de alimentos para as comunidades Kalunga atingidas pela enchente no mês passado. O trabalho realizado pela Polícia Militar passou pelas comunidades de Cavalcante, Monte Alegre de Goiás, Vão do Moleque, Vão de Almas, Riachão e Saco Grande.

O alimento foi arrecado pelos agentes da PM junto aos alunos da Academia e estudantes dos colégios militares. O Exército brasileiro cedeu os caminhões e para o transporte das doações até os destinos, que ficam a cerca de 700 km de Goiânia.

Há um ano a PM desenvolve o Programa Kalunga na comunidade de mesmo nome. Entre as ações, está a implantação da Polícia Comunitária e a conscientização por meio do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), programa adaptado do modelo norte-americano Drug Abuse Resistence Education (D.A.R.E.) surgido em 1983, e que chegou ao Brasil em 1992.  Em Goiás, o programa também é voltado para a prevenção de crimes de natureza sexual.

Visita

Logo após a tragédia causada pelas chuvas na região, o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), José Eliton, na época governador interino, seguiu para a região para prestar assistência às famílias atingidas.

Na ocasião, José Eliton afirmou que o Governo do Estado iria ajudar na reconstrução das casas destruídas pela chuva: “Estamos consternados com a tragédia e vamos prestar toda a assistência às famílias atingidas”, garantiu. Por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab) foram destinados cheques moradias para realizar as reconstruções.

Ficou estabelecido também que a Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) realizaria estudos para a reforma das pontes danificadas na região. Entre elas, a ponte sobre o Rio dos Bois, em Teresina de Goiás, que foi levada pela enchente e deixou 270 famílias da comunidade isoladas. (Com Comunicação PM5)

Deixe um comentário