A modelo transexual, Camila Montovani, que desfilou no London Represents Fashion Week, moveu uma ação judicial contra uma empresária goiana por transfobia. Após ver a modelo desfilando em um vídeo de rede social, a mulher enviou mensagens para o perfil do instagram (que era de uma amiga de Camila) dizendo que a modelo era um demônio por ter feito cirurgia para mudança de sexo: “ela não é deusa. ela é um homem e será condenada ao inferno. A palavra de Deus é clara”, disse a empresária nas postagens (veja abaixo). 

Prints enviados para página que publicou vídeo de Camila. | Foto: Divulgação

Em entrevista exclusiva ao Jornal Opção, Camila disse que registrou um boletim de ocorrência e o caso será investigado pela delegada Laura Teixeira. A delegada, mulher transexual, faz parte do Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância do Estado de Goiás. Camila diz que não se enquadra em rótulos e que sempre optou por se preservar. “Eu tinha muito medo de me expor, mas chega um momento na vida que não dá mais, sabe?”, explicou ela. 

“Nunca me senti tão ofendida”, diz modelo

Camila nasceu transgênero e começou a carreira aos 12 anos. Ela conta que a primeira campanha de moda de sucesso foi aos 13 anos com uma divulgação de pijama e, que, nesse período começaram a compará-la com a atriz Sandra Bullock. “Durante todos esses anos na minha carreira eu nunca me senti tão ofendida”, desabafou Camila. Com o episódio de transfobia, sentiu-se na obrigação de ajudar outras pessoas que sofrem com a mesma intolerância. 

Nas redes sociais, a empresária acusada de transfobia posa ao lado de Michele e Jair Bolsonaro. Procurada pelo Jornal Opção, ainda não se manifestou sobre o caso. Em uma outra postagem, aparece ao lado do casal Bolsonaro em um jantar familiar, com uma legenda agradecendo a hospitalidade do presidente em Israel.

Empresária acusada de transfobia posa ao lado de Michele e Jair Bolsonaro. | Foto: Redes Sociais

“Ela é uma mulher que frequenta a alta sociedade de Goiânia e aparece em alguns eventos. Não a conheço. No caso, quem postou o meu vídeo foi uma empresa de Goiânia de beleza. Eu tenho uma carreira linda e a minha missão é essa: lutar contra o preconceito. Lutar contra todo esse paradigma que as pessoas têm que as levam a falar e atacar alguém sem ter noção de vida e de respeito com as outras pessoas”, falou Camila sobre a empresária.

Na próxima semana, Camila vai desfilar na São Paulo Fashion Week e em breve fará uma campanha na Times Square, em Nova York. “Essas deputadas como a Erika Hilton deveriam ter mais apoio, elas estão lá no plenário lutando e sendo atacadas da maneira mais covarde possível. O preconceito mata e temos que acabar com isso no Brasil”, finalizou Camila.