Polícia Federal participa da identificação de vítimas do voo da Malaysia Airlines

O Brasil teve que enviar um perito pelo fato de atualmente ocupar a presidência de um grupo da Interpol que define as recomendações internacionais de identificação 

A Polícia Federal informou nesta terça-feira (22/7) que enviou um perito criminal federal para fazer parte da missão da Interpol que fará a identificação dos 298 mortos no voo da Malaysia Airlines, abatido por um míssil na Ucrânia na última quinta-feira (17). O policial enviado no último domingo (20) é integrante do Grupo Especializado em Identificação e Vítimas de Desastres (DVI) do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal.

[relacionadas artigos=”10653,10277,10244″

A participação da Interpol (polícia internacional) e da Polícia Federal no processo se deu após a solicitação de autoridades ucranianas para que a identificação seja feita com a metodologia reconhecida pela comunidade internacional. Desta forma, o Brasil, que atualmente ocupa a presidência do Grupo Internacional de DVI da Interpol, teve que enviar um perito. A equipe define as recomendações internacionais de identificação a serem seguidas pelos seus países membros, que somam 190 nações.

A Interpol participou na identificação dos principais desastres internacionais envolvendo vítimas de diversas nacionalidades, como o Tsunami do Oceano Índico de 2004 e, mais recentemente, na identificação das vítimas do voo Air France AF447, que foi coordenado pelas equipes do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.