Polícia Federal faz varredura em prédio do Supremo Tribunal Federal

Pedido partiu da presidente da Suprema Corte, Cármen Lúcia, depois da denúncia de que Temer estaria usando a Abin para investigar o também ministro Edson Fachin

A Polícia Federal (PF) fez, na última segunda-feira (26/6), uma varredura no Supremo Tribunal Federal (STF) para verificar grampos e outras ameaças à segurança do local. O pedido de varredura foi feito pela presidente do STF, ministra Carmén Lúcia.

Procedimentos do tipo são feitos periodicamente, mas a ministra pediu uma nova varredura depois que a revista Veja fez matéria dizendo que o presidente Michel Temer (PMDB) teria mandado a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) fazer investigações sobre outro ministro, Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no tribunal.

Temer negou a matéria e chegou a entrar em contato com Carmén Lúcia para garantir que não havia acionado a Abin, mas a presidente pediu uma varredura e divulgou nota repudiando a suposta ação. Em nota, ela disse que fazer algo do tipo é prática “própria de ditaduras” e “tem que ser civicamente repelida, penalmente apurada e os responsáveis exemplarmente processados e condenados na forma da legislação vigente”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.