Polícia Federal desarticula quadrilha que contrabandeava pedras preciosas

Estimativa é de que o grupo criminosos movimentou R$ 500 milhões. Agentes cumprem mandados de prisão, busca e apreensão e condução coercitiva em sete estados

200 agentes estão envolvidos na Operação | Foto: Bruna Aidar/ Jornal Opção

200 agentes estão envolvidos na Operação | Foto: Bruna Aidar/ Jornal Opção

A Polícia Federal (PF) iniciou, nesta quinta-feira (26/11), uma operação para desarticular uma organização criminosa que atuava no comércio ilegal de minérios e pedras preciosas. Denominada SOLDNER, termo alemão que se refere a mercenários, a operação movimentou 200 policiais que já começaram a cumprir, em todo o país, 58 medidas judiciais.

Foram dez mandados de prisão temporária, 19 de busca e apreensão e 29 conduções coercitivas nos estados de Goiás, Minas Gerais, Distrito Federal, São Paulo, Pará, Pernambuco e Tocantins. A estimativa da PF é de que o grupo já movimentou R$ 500 milhões.

A Polícia Federal suspeita que a organização, além de comercializar pedras preciosas ilegalmente, também tinha um braço que fazia transações de título da dívida pública e moeda estrangeira envolvendo bancos venezuelanos. Para a PF, esta movimentação financeira seria uma maneira de lavar o dinheiro conseguido pelo grupo.

Segundo as investigações da PF, o material era contrabandeado por uma rota que passava por Portugal, Bélgica e Israel, com destino a Dubai. Os envolvidos irão responder, entre outros crimes, pela usurpação de matéria-prima da União e pelo crime de formação de organização criminosa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.