Polícia diz que autor de atentado não era atirador profissional e arma era clandestina

Gilberto Ferreira não tinha passagem pela polícia e também não possuía porte de arma

Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção

Delegado Marcelo Aires | Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção

A polícia goiana não acredita que o autor do atentado que matou o ex-prefeito Zé Gomes, na última quarta-feira (28/9), em Itumbiara, fosse um atirador profissional. Em entrevista coletiva, o delegado-geral-adjunto da Polícia Civil, Marcelo Aires, contou que as condições do crime não atribuem a Gilberto Ferreira do Amaral qualquer experiência com armas de fogo.

“A distância de onde iniciou os disparos para onde estavam as vítimas era pequena. Foram disparados cerca de 13 tiros e sete deles atingiram o veículo”, justificou o delegado, acrescentando que o autor do crime também não possuía porte de arma.

Marcelo Aires relatou, ainda, que a arma utilizada no atentado é clandestina. Gilberto não possuía passagens na polícia e não há indícios, segundo a polícia, de que ele tivesse uma personalidade agressiva.

Logo após o atentado, a corporação realizou diligências na casa dos dois filhos do assassino, onde foi encontrada grande quantidade de drogas, além de armas de pressão. “Diferentemente do pai, os filhos não só tinham passagem, como também eram alvos de investigação da Polícia Civil.”

Boatos

À imprensa, o secretário de Segurança Pública em exercício, Coronel Edson Costa, frisou que a polícia tem verificado todos os boatos sobre a motivação do crime que circulam na mídia e nas redes sociais. “Até agora, nenhum deles foi confirmado.”

Um das possíveis versões dão conta que um funcionário do ex-prefeito Zé Gomes, morto durante o atentado, teria agredido o autor dos disparos horas antes do ocorrido. A polícia nega.

O secretário em exercício também afirmou que são falsos os boatos de que imóveis e bens ligados ao candidato de oposição, Álvaro Guimarães, teriam passado a ser alvos de ataques e depredações após o atentado. “Não há registros destes acontecimentos na cidade”, garante.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.