Polícia conclui inquérito de estupro coletivo em Águas Lindas

Dois suspeitos foram indiciados e o inquérito, remetido ao Poder Judiciário. Se condenados, os autores podem pegar penas superiores a 10 anos de reclusão.

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Águas Lindas de Goiás, concluiu nessa segunda-feira, 18, inquérito que investigou crime de estupro coletivo, cometido no dia 08 deste mês, contra uma jovem de 25 anos, supostamente por cinco homens. Dois suspeitos foram indiciados e o inquérito, remetido ao Poder Judiciário. Se condenados, os autores podem pegar penas superiores a 10 anos de reclusão.

O inquérito foi instaurado, no dia 09 de outubro, quando três homens foram presos em flagrante. Em declarações, a vítima contou que foi convidada para uma festa, na qual fez uso de bebida alcoólica e narguilê. Segundo ele, foi ameaçada com uma arma de fogo e obrigada a entrar num dos quartos da casa. Durante toda a madrugada, teria sido abusada. Os autores foram identificados e conduzidos à 17ª Delegacia Regional do município goiano.

Na delegacia, a vítima fez o reconhecimento da maioria dos autores. Contou que os cinco homens ficavam se revezando na prática do estupro, entrando e saindo do quarto. Ao cessarem os atos, a vítima passou a procurar suas roupas, acabou encontrando as roupas do primeiro autor, sendo que a camiseta tinha inclusive seu nome escrito.

Ao sair da casa, a jovem foi atendida pelo Corpo de Bombeiros, encaminhada ao hospital e depois à Delegacia de Polícia, onde foi lavrado o flagrante. No inquérito, a Deam ouviu mais de 10 testemunhas, a vítima foi reinquirida e também foram ouvidos novamente dois dos suspeitos, que estão presos em Águas Lindas, sendo que o terceiro está detido em Goiânia. O inquérito foi remetido ao Judiciário com indiciamento de dois autores, não havendo, até o momento, elementos indiciários de autoria com relação aos outros três.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.