Uma das mortes se deu em confronto com a PM, outra por suposto latrocínio e a terceira ainda não se sabe motivação e autoria 

A Polícia Civil registrou nas últimas 24 horas três crimes com vítimas fatais em Goiânia.  A primeira ocorrência foi por volta das 13h da última quarta-feira (30/7) no cruzamento entre as Ruas 206 e 216, próximo à Praça Boa Ventura, no Setor Leste Vila Nova. A vítima, o feirante Antônio Alves de Brito, de 54 anos, teria sido abordado por dois homens em uma motocicleta em uma tentativa de assalto que resultou em latrocínio (roubo seguido de morte).

No setor Santa Genoveva, a vítima Sandro Gonçalves de Almeida, de 31 anos, foi alvejado em confronto com a Polícia Militar, por volta das 14h. Sandro não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O último registro da polícia aconteceu por volta das 22 horas. A vítima, Daniel Bruce Campos da Cruz, de 19 anos, estava em uma lanchonete localizada próxima à Rua 44, no Setor Leste Ferroviário, quando foi alvejado por vários disparos. Daniel chegou a ser socorrido e levado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A irmã da vítima declarou a polícia que o motivo do assassinato é desconhecido.

Medidas do Governo

Os seis primeiros meses de 2014 foram marcados pelo aumento no número de homicídios na capital. A alta de 4,1% motivou o governador Marconi Perillo a assinar no dia 8 de agosto um decreto que cria o Grupo de Trabalho da Segurança Pública, a fim de reduzir a criminalidade. O grupo já iniciou ações nas 15 regiões mais violentas da capital e visa diminuir cerca de 10% da criminalidade do estado em ano.

As regiões definidas pelo grupo como prioritárias são: Jardim Novo Mundo, Pedro Ludovico, Guanabara, Central, Real Conquista, Norte Ferroviário, Primavera, Amazônia, Vila Finsocial, São Francisco, Vera Cruz, Eldorado Oeste, Estrala Dalva, Recanto das Minas Gerais e Curitiba.