Polícia Civil recupera carga de carne roubada em Goiânia

Quatro homens foram presos em flagrante no momento em que descarregavam produtos em açougue no Setor Itaipu, em Goiânia

Carga roubada havia sido comercializada antes mesmo do crime | Foto: Jota Eurípedes

Carga roubada havia sido comercializada antes mesmo do crime | Foto: Jota Eurípedes

A Polícia Civil apresentou nesta quarta-feira (26/10) quatro suspeitos de terem roubado um caminhão carregado com carnes de um frigorífico em Goiânia. Os criminosos foram detidos em flagrante na última sexta-feira (21), no momento em que descarregavam a carga em um açougue no Setor Itaipu, menos de seis horas após o crime.

Para o delegado Kleyton Manoel Dias, adjunto da Deic, a audácia do grupo foi o que mais chamou atenção da polícia. “Eles negociaram a carga antes mesmo dela ser roubada”, explicou. A investigação também mostra que “todos eles já são envolvidos no mundo do crime”, com passagens por homicídio, estelionatário, furto de veículos, lesão, ameaça, entre outros.

A Polícia Civil prendeu Wanilton Laercio Marcelino, Diogo Oliveira de Sousa, Cristopher Rodrigues da Silva, e Adriano Cordeiro da Serra, proprietário do açougue. Todos eles foram autuados em flagrante por roubo, receptação qualificada e formação de quadrilha. Se somadas as penas eles podem pegar mais de 21 anos de prisão, caso sejam condenados.

O crime ocorreu no início da manhã de sexta-feira, enquanto o caminhoneiro saia do frigorífico, na Avenida Noroeste, no Jardim Nova Esperança, com destino a Caldas Novas. O motorista foi rendido pelos criminosos e levado para Goianira. Ele foi libertado logo que o grupo conseguiu entregar a carga. Em seguida, o trabalhador avisou as forças de segurança.

Os policiais seguiram o rastreamento do caminhão e interceptaram o grupo e o proprietário do comércio. A organização criminosa chegou a desativar o rastreador do veículo, mas ainda assim a polícia conseguiu encontrá-los. A carga foi avaliada em R$ 35 mil. O delegado adjunto da Deic acredita que as carnes seriam distribuídas entre outros comerciantes, já que o comércio de Adriano não possui câmara frigorífica para armazenamento dos itens.

Questionado sobre a fiscalização aos comércios, o delegado afirmou que “o Estado fiscaliza bem todos os estabelecimentos comerciais, só que a audácia do marginal é muito grande”. Kleyton ressaltou que as investigações ainda continuam para verificar se o proprietário do açougue comprou outras carnes roubadas e quem é o quinto suspeito que manteve o motorista do caminhão em cárcere privado. (Com informações da Comunicação Setorial da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.