Polícia Civil prende suspeitos de recebimento indevido do auxílio emergencial

Operação Voucher já efetivou 98 mandados de prisão, 15 deles para pessoas que já estavam presas quando receberam benefício

Foto: Divulgação | PCGO.

A Polícia Civil de Goiás desencadeou nesta semana, entre segunda-feira, 18 e quinta-feira, 21, a Operação Voucher. A ação, que mobilizou todas as delegacias regionais no Estado, teve o intuito de cumprir mandados de prisão em aberto contra pessoas que receberam indevidamente o auxílio emergencial do Governo Federal concedido no período de enfrentamento à pandemia do coronavírus.

Foram presas, até o momento, 98 pessoas, das quais 15 já estavam presas quando receberam o benefício.

As prisões foram cumpridas após a Controladoria-Geral da União (CGU) compartilhar informações com a Polícia Civil. A CGU disponibilizou uma relação contendo o nome dos indivíduos que receberam o auxílio financeiro e possuíam mandado de prisão em aberto.

Crime Federal

Os presos são suspeitos de cometerem os crimes de falsidade ideológica (art. 299, CP – pena de reclusão de 1 a 5 anos) e estelionato (art. 171,§ 3º – pena de reclusão de 1 a 5 anos). Parte admitiu ter recebido a parcela de R$ 600, alguns receberam R$ 1.200 em um único depósito.

A Operação Voucher teve a participação de 300 policiais civis e 80 viaturas. Os presos, após cumprimento dos mandados, foram ouvidos em Termos de Declaração. As declarações prestadas pelos detidos serão encaminhadas à Polícia Federal para a tomada das providências legais cabíveis.

A PCGO não efetuou nenhuma investigação sobre esse caso, pois se trata de crimes federais. O corpo policial apenas cumpriu os mandados de prisão de pessoas apontadas pela CGU.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.