Polícia Civil prende grupo que clonava cartão do transporte coletivo

Três pessoas foram presas e outras seis, que participaram do esquema, foram identificadas. O prejuízo pode chegar a R$30 mil

Trio é suspeito de clonar cartões do transporte coletivo em Goiânia

Rafaela Bernardes

A Polícia Civil, através da Delegacia de Investigações Criminais (Deic), apresentou, na manhã desta quarta-feira (14/6), três suspeitos de fraudar o Cartão Fácil, do Sindicato Das Empresas De Transporte Coletivo Urbano De Passageiros De Goiânia (Setransp).

Marcus Vinícius Barros de Jesus, 24 anos, Luana Crisley Soares Mesquita, de 18, e Bruna Dias Coelho, de 21, atuavam clonando cartões do transporte coletivo, cada um com R$ 200 de crédito. A PC identificou 150 cartões clonados, o que gerou prejuízo de cerca de R$ 30 mil.

A investigação começou depois que o Setransp denunciou à polícia que havia identificado irregularidades em alguns cartões. Os suspeitos abasteciam os cartões originais com a quantia de R$200 e, a partir daí, criavam clones com o mesmo valor e os revendiam.

Segundo os suspeitos, os cartões eram clonados em São Paulo. Além dos três suspeitos presos, outras seis pessoas já foram identificadas pela polícia, elas vendiam os cartões originais para que eles fossem clonados. O trio, que foi preso, vai responder por furto qualificado e associação criminosa.

Deixe um comentário