Polícia Civil prende cinco suspeitos em ação que investiga roubo de medicamentos

Prejuízos causados pela organização criminosa somam cerca de R$20 milhões

Medicamentos subtraídos | Foto: Divulgação /Decar

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), deflarou a Operação Farmácia do Mal nesta terça-feira, 25. Foram presas cinco pessoas em flagrante pelos crimes de organização criminosa, receptação qualificada, fraudes fiscais e outros crimes. A ação foi uma força-tarefa que contou com apoio da Secretaria de Economia, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Secon.

A investigação descobriu a existência de uma organização criminosa especializada em roubo de medicamentos, que levava cargas de Goiás à Minas Gerais e São Paulo. Empresas vítimas não recebiam a mercadoria em sua totalidade, já que parte do carregamento era subtraído e revendido para pequenas farmácias que não tinham conhecimento da origem ilícita.

No crime, estão envolvidos caminhoneiros, funcionários de farmacêuticas, além de outras pessoas. Após autorização do Poder Judiciário, a Decar passou a monitorar os alvos há dez dias.

“A ação iniciou há oito meses atrás. O objeto era identificar os autores envolvidos em dois roubos de cargas de medicamentos que, partindo daqui de Goiás, foram roubados nos estados de Minas Gerais e São Paulo. Nessa investigação conseguimos identificar os autores de imediato e passamos a pleitear as medidas cautelares relacionadas ao caso. Entre as medidas, a de ação controlada”, informou o delegado responsável pela operação, Alexandre Barros.

“De lá para cá, nós conseguimos descobrir onde eles estavam guardando esses medicamentos. Depois de instaurado os procedimentos investigativos, nós conseguimos apurar também que havia envolvimento direto de empregados de laboratórios de venda desses medicamentos e, hoje, tivemos êxito em prender cinco dos envolvidos, dos quais três são líderes. Um deles é dono de farmácia e outro é intermediário. Dentro desse prazo em que eles agiram, causaram prejuízo de mais de R$20 milhões. Nós recuperamos uma carga avaliada em R$10 milhões. Vamos prosseguir nas investigações para terminar de desmantelar essa organização criminosa”, relatou.

Na segunda-feira (17), o local de armazenamento desses medicamentos haviam sido descobertos em Aparecida de Goiânia. O dono do imóvel e outras quatro pessoas foram presas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.