Polícia Civil investiga cartões de ponto de funcionários da SAE de Catalão

Ao menos dois contratos da Superintendência de Saneamento da prefeitura também estão no inquérito em andamento na Dercap

Superintendência de Água e Esgoto, em Catalão | Foto: divulgação

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap), investiga a Superintendência Municipal de Água e Esgoto (SAE) de Catalão por suspeitas em contratos e nos cartões de pontos dos funcionários.

O Jornal Opção teve acesso ao ofício expedido pela delegacia pedindo informações a respeito do cartão de ponto de mais de 20 funcionários da empresa. O documento também solicita informações sobre dois contratos. Um deles, firmado entre a SAE e um posto de combustível e outro com empresa de guindaste. A vigência dos contratos teria sido durante alguns meses no ano de 2017.

A delegacia confirma que existe uma investigação em andamento, mas não se pronunciou sobre o teor do inquérito. Delegados da Dercap estiveram na cidade nesta quarta-feira (24/4) para entrega de ofícios aos responsáveis pelos contratos investigados.

Além do pedido de documentação, os responsáveis pela SAE à época devem se apresentar à polícia nos próximos dias para prestar esclarecimentos. Devem comparecer o ex-superintendente Fernando Ulhôa e o diretor jurídico da SAE, Orioval Cândido Leão. A reportagem procurou os citados, mas não obteve resposta.

TCM

Esta não é a primeira vez que a SAE de Catalão é alvo de investigação. Em fevereiro deste ano, o Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCM-GO) a acionou a gestão do prefeito Adib Elias (MDB) e suspendeu pagamentos de acordos judiciais entre a SAE e dez supostos fornecedores e prestadores de serviços.

Os conselheiros entenderam que existe indícios de irregularidades no acordo para quitação de débitos da superintendência com as empresas, pela rapidez com que a gestão municipal aceitou as imposições das empresas.

A delegacia responsável pela atual investigação não confirmou se o inquérito é relacionado aos mesmos contratos alvos de ação do TCM.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.