Polícia apresenta suspeitos da morte do estudante Gabriel Caldeira

A Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) apresentou três supostos envolvidos nos disparos que mataram jovem perto de um bar

Foto:

Suspeitos foram apresentados na manhã desta quinta-feira (7/4) no auditório da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) | Foto: Polícia Civil

A Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) apresentou na manhã desta quinta-feira (7/4) três jovens presos como suspeitos do crime que causou morte do estudante de Administração Gabriel Caldeira de Souza, que tinha 19 anos, na noite de domingo (3).

De acordo com a Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), os irmãos Arthur Dias Stival, de 20 anos, Bruno Dias Stival, de 19, e um terceiro suspeito, Murillo Eduardo Conceição, de 20, foram presos na noite de quarta-feira (6). Os três foram autuados em flagrante por porte ilegal de armas na DIH, que já conseguiu na Justiça mandados de prisão temporária contra os supostos autores do crime de homicídio.

O veículo que teria sido utilizado no crime, um Toyota Corolla de cor prata, que pertence a Bruno, foi apreendido junto com um revólver calibre 38, informou a Polícia Civil. Com os três estavam duas jovens, uma delas adolescente, que, segundo os policiais, estavam com os suspeitos no momento dos disparos na noite de domingo que causaram a morte de Gabriel na manhã de segunda-feira (4).

Arthur estava dirigindo o carro no momento do crime, segundo informações divulgadas pela DIH. Já o autor dos disparos contra Gabriel seria Murillo. O motivo do crime teria sido o fato de Murillo não ter gostado da resposta dada pela vítima ou um dos amigos do estudante a um xingamento feito pelo suspeito de autoria do homicídio.

As prisões dos suspeitos aconteceram na BR-153, na saída para Inhumas (GO), no caso de Murillo, e em Goiânia dos irmãos Stival, que estavam escondidos na casa de uma tia, informou a DIH. Murillo trabalha em um lava-jato, seria vendedor de água mineral em um semáforo da capital e a suspeita da Polícia Civil é a de que ele tentava fugir. Bruno é estudante e Arthur vende carros.

Crime

Na noite de domingo, Gabriel saída do bar Tabú – Cervejas Especiais, na Rua 1.135, no Setor Marista, com três amigos, quando as pessoas que estavam em um Corolla teriam passado pelo grupo e mexido com os jovens. Ao responder aos insultos, Gabriel levou um tiro no adbômen. A arma utilizada no crime teria sido comprada pela internet, teriam dito os suspeitos aos policiais.

O estudante chegou a ser socorrido e atendido no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade na manhã de segunda. O crime é investigado pela delegada Ana Cláudia Rodrigues Stoffel, da DIH.

A informação divulgada pela DIH na manhã desta quinta é a que havia sido tratada como possível na segunda, de que Bruno, no carro, teria perguntado a Gabriel, na rua, “o que você está olhando?”, que teria sido respondido pela vítima com um “olhando o que?”. Essa seria a motivação do crime, a resposta a uma provocação feita por um dos suspeitos de envolvimento no crime, informou a Polícia Civil.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Adalberto De Queiroz

Julien Green tem a ficção mais adequada para responder por este domínio do Mal.