A Polícia Civil de Goiás (PC-GO), por meio da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), apreendeu, no último dia 29, três armas de fogo na residência do suspeito de estuprar uma advogada de Goiânia, em Caldas Novas. A vítima denunciou que o crime foi cometido pelo seu próprio cliente durante atendimento no seu escritório na cidade, no último dia 22.

No boletim, ao qual o Jornal Opção obteve com exclusividade, a profissional A.K., de 35 anos, relatou que após o abuso, sofreu ameaças. O suspeito, de 75 anos, foi procurado pela reportagem, mas não atendeu as chamadas e nem respondeu as mensagens.

Indagado, nesta sexta-feira, 1º, sobre a possível prisão do acusado, o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Pereira, disse não ser possível “responder essa questão no momento”. “Haja vista que depende dos desdobramentos da investigação”, arrematou.

Posse de armas

Durante o cumprimento de mandado de busca em dois imóveis do investigado foram encontradas uma Carabina Long Rifle calibre 22, uma Espingarda calibre 12 e um Revólver calibre 357 Magnum. Além de dois carregadores e 150 munições intactas.

A polícia apreendeu ainda dois aparelhos de celulares de posse do acusado, que passarão por perícias e extração de eventuais informações de interesse da investigação.

Leia também: Advogada denuncia ter sido estuprada e ameaçada por cliente, em Caldas Novas
Marido se vinga de estuprador de esposa e é inocentado em Caldas Novas